“Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” – João 15:4-5

Aos nascidos novamente em Cristo, infringir Seus princípios é dolorido e desgastante. É confortante quando sentimos o arrependimento que provém do Espírito Santo, que nos faz perceber onde e como erramos, provocando em nós a humildade que nos faz reconhecer nossos erros. Esse processo ocorre diversas vezes em um só dia, e quanto mais aprendemos e nos arrependemos, mais crescemos em santidade.

O problema é quando acreditamos que podemos fazer tudo conforme a vontade de Deus por nossos próprios méritos e esforços, passando a viver mecanicamente em busca de erros nos outros e em nós mesmos, na esperança de corrigi-los a cada instante.

É fato irremediável que pecaremos enquanto estivermos na Terra, e o que devemos fazer é nos apoiar no Espírito Santo, confiando que Ele nos concederá arrependimento e redenção, mantendo-nos em perfeita comunhão com o Pai em Cristo, independentemente do que venhamos a fazer. Nada poderá nos separar do amor de Deus, nem mesmo nossas transgressões, as quais já foram pagas por Cristo na cruz. Continue lendo »


Você já começou a conversar com alguém e depois descobriu que falavam de assuntos diferentes? Isto ocorre por usarmos palavras com significados diferentes para diferentes pessoas. Se você pedir uma receita à cozinheira, ela pensará em comida, mas se pedir ao médico ele pensará em medicamento. Se o macaco de seu carro tiver problemas, não peça a opinião de seu amigo veterinário. Vá direto a um mecânico ou loja de autopeças. Portanto, ao ler a Bíblia, procure saber o contexto para não entender errado o que está sendo falado.

A primeira edição da Bíblia em inglês, publicada em 1535 por iniciativa do Rei Tiago da Inglaterra, ou “King James”, trazia um prefácio de Miles Coverdale que dizia: “Será de grande auxílio para entenderes as Escrituras se atentares, não apenas para o que é dito ou escrito, mas de quem e para quem, com que palavras, em que época, onde, com que intenção, em quais circunstâncias, e considerando o que vem antes e o que vem depois”.

Este cuidado deve ser aplicado na pergunta que o homem faz a Jesus: “Senhor, serão poucos os salvos?”. Para os judeus, “salvação” costumava representar a libertação das mãos dos inimigos para habitar em paz na terra prometida sob o reino do Messias. Você não encontra no Antigo Testamento o conceito celestial de salvação. A esperança de Israel era na terra, não no céu, e para o cristão os exemplos de salvação do Antigo Testamento servem como sombras e figuras das coisas celestiais, pois a esperança da Igreja é celestial, não terrena. Continue lendo »


Bom é não comer carne, nem beber vinho, nem fazer outras coisas em que teu irmão tropece, ou se escandalize, ou se enfraqueça.” Não devemos comer carne então?

Não é isso que está escrito aí. Leia de novo com calma. “Nem fazer OUTRAS COISAS em que teu irmão TROPECE, se ESCADALIZE ou se ENFRAQUEÇA.” Ou seja, não devemos ser motivo de tropeço, escândalo ou enfraquecimento de quem quer que seja. Quanto a beber vinho, o próprio Paulo recomendava a Timóteo que bebesse água com um pouco de vinho por causa das enfermidades (1 Tm 5:23). E quanto a comer carne, o que está escrito é: “Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência.” – I Corintios 10:25

.

Certo, disso eu sei, mas pessoas do mundo que chegam á igreja endemoniada(como já vi varias vezes) não conta essa parte em marcos então ? ”E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios;…

Não. Isso Jesus disse só para os apóstolos e para que eles cressem. Nem eles estavam acreditando que Jesus havia ressuscitado. A chave para entender é ler o versículo 14, anterior a esse que você citou: “Finalmente apareceu AOS ONZE, ESTANDO ELES ASSENTADOS À MESA, e lançou-lhes em rosto a sua INCREDULIDADE e dureza de coração, POR NÃO HAVEREM CRIDO nos que o tinham visto já ressuscitado.”

Veja que Jesus apareceu só aos onze e eles estavam assentados à mesa. Portanto em um lugar fechado e se escondendo das autoridades romanas que haviam crucificado Jesus há muito pouco tempo. O que Jesus disse nessa ocasião, foi dito unicamente para os apóstolos. E a própria Bíblia confirma o que foi dito afirmando: “e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram”. Leia abaixo: Continue lendo »


Mais uma vez Jesus faz uma previsão negativa a respeito do crescimento anormal do testemunho de Deus, hoje representado pela cristandade. Agora é a vez de você passar uma borracha no que aprendeu dos teólogos e líderes religiosos sobre o significado da massa fermentada. Jesus volta a fazer uma pergunta seguida da resposta na forma de uma figura: “A que compararei o Reino de Deus? É como o fermento que uma mulher misturou com uma grande quantidade de farinha, e toda a massa ficou fermentada” (Lc 13:20-21).

Assim como aconteceu com a semente de mostarda, que cresceu além do normal até virar uma aberração, a massa também representa um crescimento da cristandade no mundo, porém causado por fermento. Tente encontrar na Bíblia um significado positivo para “fermento”e você não achará. Desde sua primeira menção no livro de Êxodo, até a última na carta de Paulo aos Gálatas, o fermento sempre tem conotação negativa.

Em Êxodo 12:15 Deus ordenava: “No primeiro dia tirem de casa o fermento, porque quem comer qualquer coisa fermentada, do primeiro ao sétimo dia, será eliminado de Israel”. Ao falar da má doutrina que contamina, Paulo escreveu em Gálatas 5:9: “Um pouco de fermento leveda toda a massa”, usando a mesma expressão de 1 Coríntios 5 ao tratar do pecado moral e do “fermento da maldade e da perversidade” (1 Co 5:8). Continue lendo »