Jesus disse: “Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela” (Mt 7:13). O que é isso? De que porta ele está falando?

Em outras passagens ele diz “eu sou a Porta” e “eu sou o caminho” (Jo 10:9; 14:6). Mas por que a porta é estreita? Porque é preciso fé, disciplina e perseverança para aqueles que já conhecem a Jesus.

Para aqueles que não conhecem, a porta é estreita porque é individual. Para ter acesso a Deus você precisa passar sozinho e pela única porta: Jesus.

Não existe outra porta? Existem muitas, mas esta é a única que leva ao Pai. Jesus disse: “Ninguém vem ao Pai, a não ser por mim” (Jo 14:6). Em outro lugar diz que existe “um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus” (1 Tm 2:5). Isso é claro o suficiente para você?

Mas como ele pode dizer isso? Ele pode, porque só ele morreu para levar o nosso pecado; só ele foi capaz de pagar o preço da nossa libertação. E ele ressuscitou.

Os túmulos de Buda, Maomé ou de quaisquer outros grandes líderes religiosos estão cheios de ossos.

O túmulo de Jesus está vazio. Continue lendo »


Se Deus sempre protege aqueles que O amam, por que há tantos cristãos morrendo de forma brutal por sua fé, ou sofrendo ataques terríveis, nem sempre causados pela religião, como em assassinatos, onde está Deus em meio a tanto sofrimento?

Deus está olhando. Quem faz isso é o homem, não Deus. E não é bíblico dizer que “Deus sempre protege aqueles que O amam”. Veja II Corintios 12:7-10 – “E, para que não me exaltasse pela excelência das revelações, foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual TRÊS VEZES OREI AO SENHOR PARA QUE SE DESVIASSE DE MIM. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.”

.

Paz, irmão: o senhor pode me explicar melhor Lucas cap. 4 vers. 25 e 26? Deus te abençoe.

Lucas 4:25-26 – “Em verdade vos digo que muitas viúvas existiam em Israel nos dias de Elias, quando o céu se cerrou por três anos e seis meses, de sorte que em toda a terra houve grande fome; e a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a Sarepta de Sidom, a uma mulher viúva.”

Leia 1 Reis que você vai entender. Continue lendo »


“Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta. Pois todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e àquele que bate, a porta será aberta”(Mt 7:7-8). Você crê nisto?

É claro que não, pelo menos com sua mente natural, lógica e racional, aquela que veio de fábrica. Não faz sentido, pois sua mente foi feita para funcionar neste ambiente de três dimensões e dentro dos limites de tempo e espaço. Para uma mente assim as coisas que fazem sentido são as que cabem nessas condições.

Agora imagine se você tivesse a perspectiva de Deus, que pudesse enxergar e avaliar as coisas sem as limitações de tempo e espaço; se pudesse avaliar com a perspectiva da eternidade. Se algo acontecesse hoje ou daqui a mil anos, não faria diferença.

É aí que entra a oração. Orar é falar com Deus, é discutir, perguntar, questionar, rogar; é invadir o infinito. Se você ler a Bíblia verá que tudo isso fazia parte das orações dos homens e mulheres de Deus ao longo dos séculos.

Portanto, orar é pedir e ter certeza da resposta, mas de uma resposta da perspectiva de Deus, não da nossa mente estreita. Dou um exemplo.

Moisés liderou os israelitas 40 anos pelo deserto rumo à terra prometida. Mas Deus não permitiu que Moisés entrasse na terra prometida. Só permitiu que a visse de longe antes de morrer, por razões que não vêm ao caso agora. Continue lendo »


“Não julguem para vocês não serem julgados”, disse Jesus. O que quer dizer? Que os juízes devem considerar inocente todo bandido? Ou que no próximo jogo não terá mais um juiz correndo no gramado? Não é bem assim.

Por outras passagens da Bíblia você descobre que aqui Jesus condena julgarmos os motivos e intenções das pessoas; tirarmos conclusões por sua aparência, coisas assim.

Evidentemente há coisas que devemos sim julgar, como as coisas que as pessoas dizem ou fazem, especialmente quando o assunto é Deus. Para isso temos uma medida: a Bíblia, a Palavra de Deus.

Então o problema não está no julgamento, mas na viga que temos nos olhos; na incapacidade de enxergar o que é certo ou errado na hora de querer tirar o cisco do olho alheio. Continue lendo »