“Mas nem todos têm obedecido ao evangelho; pois Isaías diz: SENHOR, quem creu na nossa pregação? De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir PELA PALAVRA DE DEUS.” (Romanos 10:16-17)

A Palavra de Deus nos mostra quem realmente somos, o que definitivamente não é agradável aos nossos egos sempre inflados, que nos faz acreditar que somos bons e honestos por natureza. Assim, quando nos deparamos com as verdades bíblicas tendemos a renunciá-las, acatando somente o que nos convém ou é palatável.

Ser cristão também significa ser capaz de reconhecer que somos falhos e pecadores, e que precisamos de um salvador, do contrário de que valeria o sacrifício de Cristo? Através da Bíblia somos confrontados com a nossa natureza pecaminosa e rebelde como ela é. A partir daí, temos a chance de mudar através das obras realizadas em nós pelo Espírito Santo, uma vez que nos tornamos submissos a Deus. Para tanto, é necessário admitir que nascemos em pecado e precisamos nos arrepender.

É deprimente a falta de respeito pelas Escrituras por parte de muitos que se dizem cristãos. Simplesmente não querem ler a Bíblia, querem apenas as bênçãos de Deus, e quando a leem valem-se de passagens isoladas para justificar heresias cometidas por eles mesmos ou por falsos mestres. Preferem viver no erro a sair da zona de conforto e aprender o que Deus realmente quer que façamos. Creem que basta dizer ‘’Senhor, Senhor’’:

‘’Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! Entrará no reino dos céus, mas aquele que FAZ A VONTADE DE MEU PAI, que está nos céus. ’’ – (Mateus 7:21) Continue lendo »


No capítulo 18 de Mateus Jesus compara o reino dos céus a um rei cujo servo lhe deve 10 mil talentos. Dez mil talentos são trezentas e cinquenta toneladas. Se for de prata, são 120 milhões de dólares. Se for de ouro, 8 bilhões e meio. Jesus quis mostrar que a dívida era impagável.

O rei ordena que o servo, sua mulher e seus filhos sejam vendidos como escravos, mas o servo implora por paciência, e o rei, movido de compaixão, cancela sua dívida e o perdoa. O rei da parábola é Deus e nós somos o servo devedor. Mas o servo perdoado não considera o quanto lhe foi perdoado e trata sem misericórdia um colega seu que lhe devia uma quantia infinitamente menor. Ao saber disso o rei entrega o servo ingrato aos torturadores até que pague toda a dívida.

Observe que o contexto fala do reino dos céus, e não do céu propriamente dito. Como já vimos nesta série, o reino dos céus é a esfera dos que, neste mundo, professam sujeição ao Rei que está no céu. Portanto, tecnicamente falando, o perdão aqui é mostrado em seu caráter governamental, não eterno, e é por isso que o rei da parábola pôde voltar atrás e cancelar o perdão dado ao servo ingrato. Continue lendo »


Sexo antes do casamento?

Não existe sexo “antes” do casamento porque sexo É o casamento. Leia:

Sexo antes do Casamento

Sexo pré-matrimonial?

Sexo Entre Não Casados

O que dizer a um(a) jovem que quer fazer sexo com sua(seu) namorada(o)?

.

Toda cura realizada em Nome de Jesus nao eh de Deus?

Não existe mais cura realizada em nome de Jesus desde o tempo dos apóstolos.

.

Fala sobre roupa? Qual a roupa certa da mulher e do homem? Analisando as vestes Brasileira e outros paises, como vestidos, homens usando saias?

Decência. A Bíblia diz para nos vestirmos com decência. Leia as cartas do Novo Testamento. Continue lendo »


O apóstolo Pedro está com uma dúvida. “Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão? Até sete vezes?”(Mt 18:21). Para entender a pergunta de Pedro, é preciso entender o significado dos números na Bíblia.

O número “um”obviamente significa unidade. “Dois”é o número de testemunhas necessárias. Três é um testemunho perfeito, o número mínimo de pernas para uma mesa, algo suficiente em si mesmo.

Deus é um, mas é também constituído de três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Não tente entender. É Deus!

Quatro nos fala de simetria, dos quatro cantos da terra. Cinco é responsabilidade, é ação executada pelos cinco dedos da mão. Seis é o número que não chega a sete, é incompleto. Sete, portanto, é algo completo. Ele aparece em profusão no livro de Apocalipse, que completa a revelação de Deus. Continue lendo »