A primeira parábola do capítulo 13 de Mateus fala do semeador que é Jesus, da semente que é a sua Palavra e dos diferentes tipos de solo, ou as pessoas que entram em contato com ela. Qual destes solos é você?

A primeira semente cai à beira do caminho, um solo continuamente compactado pelas pessoas. Se você se considera o cidadão comum, que é influenciado por estatísticas e guiado pela opinião pública, este solo é você. É o solo humanista, que adora o homem em lugar de seu Criador. A Palavra de Deus não encontra lugar nesse tipo de solo e logo a semente é arrebatada pelas aves, que aqui representam Satanás.

A próxima semente cai em solo pedregoso, com terra suficiente para germinar, mas não para criar raízes. Logo é queimada pelo sol. Este é o que recebe a Palavra com empolgação, sem convicção de pecado, como se fosse mais uma técnica de autoajuda. Qualquer tribulação ou perseguição põe fim à festa. Jesus nunca prometeu uma vida fácil, e basta ver a vida que ele ou seus discípulos levavam para você entender que cristianismo não é ser curado de todas as doenças, andar de carro importado ou ser o candidato mais votado nas próximas eleições. Continue lendo »


Germano me Responde essa pergunta em video você mesmo. Como a gente podemos Evangelizar a nossa família ? Me responde você mesmo em video !

Eu não respondo em vídeo, Sandro. E a melhor maneira de evangelizar a família é dando exemplo.

.

Paz, irmão, o senhor pode me explicar Romanos 8:30: “E aos que predestinou a estes também chamou; e aos que chamou a estes também justificou; e aos que justificou a estes também glorificou.”

O Capítulo 8 de Romanos trata de eleição. Deus predestinou alguns para que através destes, outros fossem salvos. Leia com calma todo o capítulo tendo em mente que a eleição é parte do plano de Deus para a salvação da humanidade.

.

Paz! É errado nos reunirmos em um templo pra ouvir e aprender, se a fé vem do ouvir e ouvir a palavra de Deus, cultuar e entoar louvores em adoração a eles em comunhão com irmãos? Através das igrejas vidas são restauradas, através dos louvores, almas são libertadas. Não podemos seguir os costumes da época de Paulo? E a respeito de Salmos 107:32 “Exaltem-no na congregação do povo e glorifiquem-no na assembléia dos anciãos!”
 Primeiramente, frisemos que NÓS somos o templo de Deus. Não devemos nos reunir em templos construídos por homens porque nós somos habitados pelo Espírito Santo. Somos templos individuais, os quais Deus mesmo criou e aperfeiçoa a cada dia, moldando-nos de acordo com a Sua vontade. Não há necessidade de tentarmos criar algo que já está criado, não é mesmo? Devemos nos reunir para aprender sobre a Palavra de Deus em comunhão uns com os outros sim. Mas isto não deve ser feito necessariamente em um local criado especificamente para isto, pois isto não é preceito cristão. Entoar louvores? Nossas vidas em si devem ser louvores a Deus. Continue lendo »


Acontece uma mudança radical no ministério de Jesus. Ao ser rejeitado pelos judeus, ele estabelece as novas bases do seu relacionamento com as pessoas. Não seriam mais levados em conta os laços naturais, como os que tinha com sua mãe e irmãos, e nem os laços nacionais com seu povo Israel. O que importa agora são os laços de obediência daqueles que se convertiam em discípulos de Jesus.

Jesus sai de casa — e o significado é este mesmo — para falar às multidões em geral e aos discípulos em particular. Por isso fala em parábolas. Parábolas são histórias com um ensino agregado. Jesus ensina que tudo o que disser por parábolas será entendido completamente por seus discípulos, mas apenas parcialmente pela multidão.

A multidão representa quem vai atrás de Jesus por curiosidade ou em busca de cura, sustento e bens materiais — que ouve as palavras de Jesus sem entender o que ele diz. Para os discípulos ele reserva um encontro privativo, separado da multidão, para explicar a sua vontade.

O que a multidão pode entender de Jesus é superficial. Normalmente é aquilo que você encontra nas revistas, nos filmes de Hollywood ou nos escritores e pregadores que falam o que o povo gosta de ouvir. O que Jesus realmente quer dizer — os mistérios do reino dos céus — você só descobre quando tem um encontro pessoal com ele. Continue lendo »


Autor: Moisés escreveu o livro de Deuteronômio, e este é na verdade uma coleção de seus sermões a Israel pouco antes de atravessarem o Jordão. “Estas são as palavras que Moisés…” (1:1). Outra pessoa (possivelmente Josué) talvez tenha escrito o último capítulo.

Quando foi escrito: Estes sermões foram dados durante o período de 40 dias antes de Israel entrar na Terra Prometida. O primeiro sermão foi proferido no primeiro dia do décimo primeiro mês (1:3), e os israelitas atravessaram o Jordão 70 dias depois, no décimo dia do primeiro mês (Josué 4:19). Subtraia 30 dias de luto após a morte de Moisés (Deuteronômio 34:8) e sobram 40 dias. O ano era 1410 A.C.

Propósito: Uma nova geração de israelitas estava prestes a entrar na Terra Prometida. Esta multidão não havia experimentado do milagre no Mar Vermelho ou escutado a Lei sendo dada no Sinai, e eles estavam prestes a entrar numa nova terra com muitos perigos e tentações. O livro de Deuteronômio foi dado para lembrá-los da Lei de Deus e do Seu poder.

Versículos-chave: “Não acrescentareis à palavra que vos mando, nem diminuireis dela, para que guardeis os mandamentos do SENHOR vosso Deus, que eu vos mando” (Deuteronômio 4:2).

“Ouve, Israel, o SENHOR nosso Deus é o único SENHOR. Amarás, pois, o SENHOR teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todas as tuas forças. E estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te” (Deuteronômio 6:4-7).

“Disse-lhes: Aplicai o vosso coração a todas as palavras que hoje testifico entre vós, para que as recomendeis a vossos filhos, para que tenham cuidado de cumprir todas as palavras desta lei. Porque esta palavra não vos é vã, antes é a vossa vida; e por esta mesma palavra prolongareis os dias na terra a qual, passando o Jordão, ides a possuir” (Deuteronômio 32:46-47).

Resumo: Os Israelitas são comandados a se lembrarem de quatro coisas: a fidelidade de Deus, a santidade de Deus, as bênçãos de Deus e as advertências de Deus. Os três primeiros capítulos recapitulam a viagem saindo do Egito para a sua localização atual, Moabe. Capítulo 4 é um chamado à obediência, a ser fiel ao Deus que foi fiel a eles. Continue lendo »