Os quatro evangelhos apresentam quatro diferentes aspectos de Cristo. Mateus mostra o perfeito Rei prometido a Israel, por isso está cheio de citações do Antigo Testamento. Ali a genealogia de Jesus começa em Abraão, o patriarca de Israel, e passa pelo Rei Davi. Marcos mostra o perfeito Servo, humilde e sem genealogia. Lucas apresenta o perfeito homem, cuja genealogia vem desde Adão, o primeiro homem.

O Evangelho de João revela Jesus como Deus e Criador, e não há uma genealogia, pois ele não tem começo e nem fim, assim como o próprio Evangelho de João. Este evangelho começa na eternidade, “no princípio”, e termina falando de infinitude ao revelar que se fosse escrito tudo o que Jesus fez o mundo inteiro não seria suficiente para conter esses livros. E como poderia este planeta conter toda informação sobre Jesus e o Universo que ele criou?

Semelhante ao livro de Gênesis, João começa com a expressão “No princípio”, que na realidade significa “antes de tudo”. “No princípio era o Verbo”, pré-existente. O Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus. Todas as coisas foram criadas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Jesus é o Verbo. Ele não foi criado, ele é o Criador.

É importante entender isso para entender o evangelho. Na primeira epístola ou carta do apóstolo João, ele diz que “todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne procede de Deus; mas todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus” (1 Jo 4:2-3).  Não é suficiente dizer que Jesus nasceu neste mundo, é necessário confessar que ele veio em carne, o que pressupõe sua pré-existência e natureza eterna.

Cabe aqui também uma explicação para você entender a expressão “vida eterna” sempre que ela aparecer ao longo do evangelho. Vida eterna não é apenas uma vida que nunca se acaba. As pessoas que não creem em Jesus não têm vida eterna. Mesmo assim elas morrerão, ressuscitarão em um corpo tangível e viverão para sempre no lago de fogo.

Nenhum de nós é eterno, apenas Deus. Todos nós fomos criados para nunca mais deixarmos de existir, o que significa que temos, por natureza, uma vida perpétua, mas não eterna. No versículo 4 diz que nele, em Jesus, estava a vida e a vida era a luz dos homens. Além de Criador e sustentador de todas as coisas, Jesus é também a origem e o autor da vida, seja ela a vida natural, que todos os seres vivos têm, ou a eterna, um privilégio apenas dos que nascem de novo.

Se você buscar pela expressão “vida eterna” em uma Bíblia digital aprenderá que a vida eterna é uma dádiva, ou seja, você a recebe de graça, não por seus esforços; que é algo que você pode saber agora mesmo se tem ou não; que a vida eterna está em Jesus e — agora vem o mais surpreendente — Jesus “é o verdadeiro Deus e a vida eterna” (1 Jo 5:20). Portanto, você não pode ter vida eterna independente de Jesus, porque a vida eterna é uma Pessoa, é Jesus. Você tem vida eterna? Você tem Jesus?

Por Mario Persona

.

Condições de uso: Os textos do blog Leia a Bíblia podem ser copiados e utilizados livremente em correspondência, escolas, blogs e sites pessoais. Vedada a reprodução por empresas, igrejas, veículos de comunicação corporativos e programas de rádio/TV. Favor citar a fonte.

.

Comentários: Fique à vontade para comentar. Serão publicados os comentários com base bíblica e fundamentação lógica. Opiniões, questões doutrinárias, citações pessoais, assuntos fora do texto bíblico, comentários sem base bíblica, textos copiados de outros sites e blogs bem como assuntos fora do tema do blog e links externos serão deletados. O assunto aqui é SÓ A BÍBLIA ou assuntos diretamente relacionados ao texto bíblico. Obrigado por comentar.


Comente!

(*)Campos de preenchimento obrigatório