Recebemos o amoroso convite do Salvador para irmos a ele, não a uma religião. A palavra “religião”vem de “religar”ou “reconectar”, considerando que o homem perdeu a conexão com Deus. Porém é Deus quem faz essa reconexão, não o homem. A rigor, o que ocorre nem mesmo é uma reconexão, mas o descarte completo do velho homem e uma nova criação de Deus.

Quando o homem tenta se reconectar com Deus ele parte do princípio de que é capaz de fazer isso seguindo uma lista de regras. O resultado? Suas regras acabam sendo mais para prejudicar o ser humano do que para ajudá-lo. Elas viram um sacrifício que chuta para escanteio qualquer sentimento de misericórdia. Foi o que os judeus fizeram com o sábado, o dia que era para servir de descanso na lei dada a Moisés.

Como estavam com fome, ao atravessarem um campo de cereais os discípulos de Jesus começaram a colher espigas, esfregá-las com as mãos e comer os grãos. Nada de estranho aí. Você também come aveia, que é um grão cru, esmagado ou moído.

Segundo a lei dada no Antigo Testamento aquilo não era roubo, pois era permitido que um viajante se alimentasse das plantações alheias, desde que não usasse uma foice. Deus pensava no bem-estar dos viajantes numa época quando não havia postos e lanchonetes nas estradas. O problema para os fariseus foi os discípulos terem feito isso no sábado, e os fariseus consideraram aquilo trabalho.

As intenções de Deus são para o bem-estar do ser humano, não para o seu sofrimento. A história do cristianismo está cheia de casos de autoflagelo, de pessoas que afligem a si próprias, chicoteiam o corpo, sobem escadarias de joelhos ou se deixando pregar numa cruz. Elas acham que seu sofrimento serve para pagar por seus pecados. Mas como pagar por algo que já foi pago há dois mil anos?

Talvez você pergunte: E o jejum? Vou dizer o que é o jejum ou a abstenção de alguma coisa. Você se lembra daquela vez em que ficou tão apaixonado por alguém que até se esquecia de almoçar e jantar? É desse jejum que a Bíblia fala, de você ficar tão apaixonado por Deus que as coisas perdem sua importância.

Jesus mostra aos fariseus que Deus não quer sacrifícios, e sim misericórdia. Ele os lembra de que Davi e seus homens, quando tiveram fome, comeram os pães que ficavam no templo, e que só os sacerdotes podiam comer. É claro que se na época Davi tivesse sido respeitado como rei e não precisasse viver no exílio, não precisaria ter feito aquilo. E o que temos aqui?

O Rei de reis, o Sumo Sacerdote, aquele que é maior que o templo de Jerusalém, aquele que é Senhor do sábado, rejeitado por sua nação e principalmente pelos religiosos de sua época. Se Jesus tivesse sido recebido, seus discípulos não precisariam estar fazendo aquilo. Ao deixar de lado a misericórdia e valorizar o ritualismo, a religião acaba deixando Jesus de fora.

Por Mario Persona

.

Condições de uso: Os textos do blog Leia a Bíblia podem ser copiados e utilizados livremente em correspondência, escolas, blogs e sites pessoais. Vedada a reprodução por empresas, igrejas, veículos de comunicação corporativos e programas de rádio/TV. Favor citar a fonte.

.

Comentários: Fique à vontade para comentar. Serão publicados os comentários com base bíblica e fundamentação lógica. Opiniões pessoais, questões doutrinárias, ataques pessoais, citações nominais, assuntos fora do texto bíblico, comentários sem base bíblica, textos copiados de outros sites e blogs bem como assuntos fora do tema do blog serão deletados. O assunto aqui é SÓ A BÍBLIA ou assuntos diretamente relacionados ao texto bíblico. Obrigado por comentar.


Comentários:


  1. Edvan Barros disse:

    Mario, o texto não explica muito sobre o sábado, queria mais informações sobre o sábado. Acredito que o sábado não foi abolido, ele continua sagrado.
    As passagens onde Jesus é questionado pelos fariseus sobre sábado, eu vejo que a resposta de Jesus sempre é o bom senso, mas não a abolição do sábado.

  2. germano disse:

    Edvan Barros,
    .
    A primeira coisa que precisamos entender ao ler a Bíblia é que tudo até a morte de Jesus é Velho Testamento. Jesus era um judeu que veio para os judeus. Ele não veio para a Igreja. A Igreja era um mistério que Deus não havia revelado a ninguém. O próprio Jesus afirma em Mateus 15:24 – “E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.”
    Ou seja, nem todos os ensinamentos de Jesus não tem aplicação prática para nós. Além disso, Paulo afirma em II Corintios 3:14 – “Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, O QUAL FOI POR CRISTO ABOLIDO;” Ou seja, Jesus Cristo aboliu TODO o Velho Testamento. Não vivemos debaixo da lei mas da graça. Leia com calma e atenção a carta de Paulo aos Gálatas e você vai entender. Leia também o post http://leiaabiblia.blog.br/o-que-quer-dizer-aio-em-galatas-324-25/


Comente!

(*)Campos de preenchimento obrigatório