“Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo. E louvo-vos, irmãos, porque em tudo vos lembrais de mim, e retendes os preceitos como vo-los entreguei.” I Corintios 11:1-2

É comum ouvirmos alguém dizer que devemos ser imitadores de Cristo. Ocorre que aí reside uma séria dificuldade. Para que alguém seja “imitador” de Cristo, se faz necessário que essa pessoa seja sem pecado, o que é impossível. Sabemos que “todos pecaram e estão destituídos da glória de Deus” conforme o que está escrito em Romanos 3:23. Sabemos também que Cristo foi sem pecado porque está escrito: “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” Hebreus 4:15

Se Cristo é sem pecado e é impossível que O imitemos, devemos imitar a quem? O que a Bíblia ensina? As passagens que mencionam a quem devemos imitar são:

Imitarmos a Paulo: I Corintios 4:16 –  “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.”

Imitarmos a Paulo: I Corintios 11:1 – “Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.”

Imitarmos a Deus COMO FILHOS: Efésios 5:1 – “SEDE, pois, imitadores de Deus, como filhos amados;”

Imitarmos a Paulo: Filipenses 3:17 – “Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.”

Imitarmos os apóstolos e a Cristo NA TRIBULAÇÃO: I Tessalonicenses 1:6 – “E vós fostes feitos nossos imitadores, e do Senhor, recebendo a palavra em muita tribulação, com gozo do Espírito Santo.”

Imitarmos os irmãos das Igrejas que estavam na Judéia: I Tessalonicenses 2:14 – “Porque vós, irmãos, haveis sido feitos imitadores das igrejas de Deus que na Judéia estão em Jesus Cristo; porquanto também padecestes de vossos próprios concidadãos o mesmo que os judeus lhes fizeram a eles,”

Imitarmos aos discípulos: II Tessalonicenses 3:7-9 – “Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós, nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós. Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes.”

Imitarmos os que tem fé e paciência: Hebreus 6:12 – “Para que vos não façais negligentes, mas sejais imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas.”

Imitarmos a fé dos pastores (os verdadeiros, claro!): Hebreus 13:7 – “Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.”

Ser imitador de Paulo como ele foi de Cristo (1 Co 11:1-2) não é ser imitador de Cristo assim como quando o gerente de vendas de uma empresa diz aos vendedores: “Sejam meus imitadores como eu sou do Diretor de Vendas”, ele não está dizendo aos vendedores que imitem o Diretor de Vendas e sim a ele, o gerente de vendas.

A Palavra de Deus nos ensina que devemos procurar “apresentar-nos a Deus aprovados, como obreiros que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade.” (II Timóteo 2:15). Esse “manejar” tem o sentido de separar, identificar a aplicação prática (ou não) de cada uma das passagens que temos na Bíblia.

Jesus Cristo era judeu, viveu entre os judeus e pregou só para os judeus: “E ele, respondendo, disse: Eu não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel.” – (Mateus 15:24)

Portanto tudo o que lemos na Bíblia até a morte de Jesus é Velho Testamento e foi abolido por Cristo: “Mas os seus sentidos foram endurecidos; porque até hoje o mesmo véu está por levantar na lição do velho testamento, o qual foi por Cristo abolido;” (II Corintios 3:14)

Devemos sim ser imitadores daqueles que lançaram os fundamentos da Igreja no primeiro século, principalmente Paulo, o “apóstolo dos gentios.” Querer ser “imitador de Cristo”, no sentido de andarmos como Ele andou, é uma impossibilidade para qualquer ser humano. Vivemos a dispensação da graça e pregamos o Evangelho da Graça de Deus, diferentemente de Jesus Cristo que pregava o Evangelho do Reino de Deus. Leiam também: O que é o “Evangelho do Reino”?

Germano Luiz Ourique

.

Condições de uso: Os textos do blog Leia a Bíblia podem ser copiados e utilizados livremente em correspondência, escolas, blogs e sites pessoais. Vedada a reprodução por empresas, igrejas, veículos de comunicação corporativos e programas de rádio/TV. Favor citar a fonte.

.

Comentários: Fique à vontade para comentar. Serão publicados os comentários com base bíblica e fundamentação lógica. Opiniões, questões doutrinárias, citações pessoais, assuntos fora do texto bíblico, comentários sem base bíblica, textos copiados de outros sites e blogs bem como assuntos fora do tema do blog e links externos serão deletados. O assunto aqui é SÓ A BÍBLIA ou assuntos diretamente relacionados ao texto bíblico. Obrigado por comentar.

Germano Luiz Ourique


Comentários:


  1. Jonathan Lucas disse:

    Sem dúvidas a analogia foi muito bem pensada, mas confesso que não foi tão efetiva pra mim, vou orar por essa questão. Digo porque acredito que ser “imitador de Jesus” é mais de agir como ele agiria, tentarmos olhar com o olhar dEle, não de ousar ser como Ele, e ainda assim em 1 Pedro‬ ‭1:16‬ diz; “Sejam santos, porque eu sou santo.” Enfim, é um assunto de meditação e oração, só assim pra chegar numa conclusão.
    ‭‭


Comente!

(*)Campos de preenchimento obrigatório