Jerusalém já foi cercada várias vezes e será novamente quando Cristo voltar. Apesar das semelhanças entre os textos, Lucas 21:20-24 fala da destruição do Templo no ano 70 da era cristã, e Mateus 24 dos eventos da última semana profética de Daniel 9. Esta começa com “uma aliança [do anticristo] que durará uma semana. No meio da semana ele dará fim ao sacrifício e à oferta. E numa ala do templo será colocado o sacrilégio terrível” (Dn 9:27, Mt 24:15). Os primeiros três anos e meio são “o início das dores” (Mt 24:8) e os últimos a “grande tribulação” (Mt 24:21).

“Jesus passava o dia ensinando no templo; e, ao entardecer, saía para passar a noite no monte chamado das Oliveiras. Todo o povo ia de manhã cedo ouvi-lo no templo” (Lc 21:37-38). Em Mateus 24:3, após falar da destruição do Templo, “tendo Jesus se assentado no monte das Oliveiras, os discípulos dirigiram-se a ele em particular e disseram: ‘Dize-nos, quando acontecerão essas coisas? E qual será o sinal da tua vinda e do fim dos tempos?’”. A revelação da destruição do Templo foi pública, mas as outras coisas foram ditas aos discípulos em particular. Continue lendo »


“Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.” – (Efésios 5:14)

Quando vivemos de acordo com os princípios mundanos ficamos mais vulneráveis à escuridão espiritual. E porque estamos acostumados a tal escuridão, já não nos importamos em estarmos sendo dirigidos e comandados por ela. Não enxergamos o caminho que estamos trilhando e tropeçamos diversas vezes até o momento em que somos cauterizados por tantos males. Mas há uma saída, e o Espírito Santo se encarrega de fazer com que a encontremos. Quando isso acontece, passamos a enxergar a escuridão como uma opção e não o destino final. Sempre há esperança para aqueles que depositam sua fé em Cristo, pois a sua fidelidade excede toda a nossa capacidade de compreensão da mesma. Ainda assim, muitos que se dizem cristãos continuam perdidos em meio às trevas que formam este mundo.

‘’Porque todos vós sois filhos da luz e filhos do dia; nós não somos da noite nem das trevas. Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios; Porque os que dormem, dormem de noite, e os que se embebedam, embebedam-se de noite. ’ – (1 Tessalonicenses 5:5-7)

Sabemos que a porta é extremamente estreita e seletiva e poucos são os que conseguem encontrá-la, e destes, poucos são os que conseguem passar por ela. Já a porta larga nos parece tão mais atrativa e promissora! Todavia, não nos enganemos: confiemos em Cristo, pois Ele suportou todas as tentações às quais foi subordinado, deixando a nós o melhor exemplo a ser seguido. Nosso Pai celestial nos concede toda força, maturidade e intrepidez para que suportemos as tentações assim como Jesus as suportou. Continue lendo »