Ok, se não tem base bíblica para se construir um prédio, onde devemos nos encontrar para ouvirmos a palavra, termos comunhão, etc? Biblicamente.

Biblicamente? Em qualquer lugar: Mateus 18:20 – “Porque, onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou eu no meio deles.” É simples assim.

.

A explicação da criação do mundo pela biblia é por adao e eva, certo? Só que as pessoas questionam os fosseis. Os dinossauros. Isso que quero tentar saber.

Bem, a palavra dinossauro existe há menos de 200 anos e a Bíblia terminou de ser escrita há 2000 anos. Nem haveria como a Bíblia ter uma referência a dinossauros.

.

Boa noite, sou evangélica e estudante de Educação Física. Gostaria de saber, se o fisiculturismo agrada a Deus? Sabendo que ele envolve para além da prática da musculação tb todo um cuidado de nosso corpo, que pertence a Deus.

Qualquer coisa que façamos em obediência a Deus, O agradará. Ore para saber e Deus lhe dirá. E leia a Bíblia. Continue lendo »


“Quando se aproximou e viu a cidade [Jerusalém], Jesus chorou sobre ela e disse: ‘Se você compreendesse neste dia, sim, você também, o que traz a paz! Mas agora isso está oculto aos seus olhos. Virão dias em que os seus inimigos construirão trincheiras contra você, e a rodearão e a cercarão de todos os lados. Também a lançarão por terra, você e os seus filhos. Não deixarão pedra sobre pedra, porque você não reconheceu o tempo em que Deus a visitaria’”. (Lc 19:41-44).

Duas passagens nos Evangelhos falam de Jesus chorando. Em João 11:35, quando Lázaro morreu, ele chorou, mas não um pranto de luto, pois sabia que traria Lázaro de volta da morte. Ele chorou por Marta e Maria, irmãs de Lázaro, e pela ruína causada pelo pecado. No original, a palavra grega para o choro das irmãs tem o sentido de pranto. A palavra usada para o choro de Jesus significa que verteu lágrimas em silêncio. Mas o choro à entrada de Jerusalém é de pranto, de profunda desolação.

A vinda de Jesus havia sido acompanhada da promessa de “paz na terra” (Lc 2:14), mas os judeus rejeitaram seu Messias, apesar dos avisos dos profetas que tinham vindo antes dele. Continue lendo »


Judas 1 identifica Judas, irmão de Tiago, como o seu autor. Isso provavelmente se refere ao meio-irmão de Jesus, Judas, já que Jesus também tinha um meio-irmão chamado Tiago (Mateus 13:55). Judas provavelmente não se identifica como um irmão de Jesus devido à humildade e reverência para com Cristo.

Quando foi escrito: O livro de Judas está intimamente relacionado com o livro de 2 Pedro. A data da autoria de Judas depende de se ele utilizou conteúdo de 2 Pedro, ou se Pedro usou conteúdo de Judas ao escrever 2 Pedro. O livro de Judas foi escrito entre 60 e 80 dC.

Propósito: O livro de Judas é muito importante para nós hoje porque foi escrito sobre o fim dos tempos, para o fim da era da igreja. A era da igreja começou no Dia de Pentecostes. Judas é o único livro inteiramente dedicado à grande apostasia. Judas escreve que más obras são a prova de apostasia. Ele nos exorta a batalhar pela fé, pois há joio no meio do trigo. Falsos profetas estão na igreja e os santos estão em perigo. Judas é um livro pequeno, mas muito importante e digno de estudo, escrito para os cristãos de hoje.

Versículos-chave: Judas 3: “Amados, embora estivesse muito ansioso por lhes escrever acerca da salvação que compartilhamos, senti que era necessário escrever-lhes insistindo que batalhassem pela fé uma vez por todas confiada aos santos.”

Judas 17-19: “Todavia, amados, lembrem-se do que foi predito pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo. Eles diziam a vocês: ‘Nos últimos tempos haverá zombadores que seguirão os seus próprios desejos ímpios’. Estes são os que causam divisões entre vocês, os quais seguem a tendência da sua própria alma e não têm o Espírito.”

Judas 24-25: “Àquele que é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre! Amém.” Continue lendo »


Costumamos pensar na obra de Cristo apenas no sentido de nos salvar, mas sua morte, ressurreição e glorificação “à direita da Majestade nas alturas” (Hb 1:3) têm uma abrangência bem maior. Antes de Adão e Eva caírem em pecado houve outra queda envolvendo Satanás, o “querubim guardião” (Ez 28:14). Aquilo criou uma situação estranha, pois tanto os anjos fieis a Deus como “as forças espirituais do mal”, contra as quais o cristão é exortado a lutar, passaram a compartilhar de uma mesma esfera “nas regiões celestiais” (Ef 6:12). Por isso nos capítulos 1 e 2 do Livro de Jó você encontra Satanás no céu e Apocalipse 12 revela a futura expulsão de Satanás e seus anjos com estas palavras:

“Houve uma guerra no céu. Miguel e seus anjos lutaram contra o dragão, e o dragão e os seus anjos revidaram. Mas estes não foram suficientemente fortes, e assim perderam o seu lugar no céu. O grande dragão foi lançado fora. Ele é a antiga serpente chamada diabo ou Satanás, que engana o mundo todo. Ele e os seus anjos foram lançados à terra. Então ouvi uma forte voz do céu que dizia: ‘Agora veio a salvação, o poder e o Reino do nosso Deus, e a autoridade do seu Cristo, pois foi lançado fora o acusador dos nossos irmãos, que os acusa diante do nosso Deus, dia e noite’” (Ap 12:7-10). Continue lendo »