No versículo 22 de Lucas 17 Jesus deixa de lado os fariseus para falar em particular aos discípulos. É importante distinguir quando ele fala aos líderes religiosos, ao povo em geral ou aos discípulos em particular. O apóstolo Paulo exortou Timóteo a “apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro… que maneja corretamente a palavra da verdade” (2 Tm 2:15). O verbo “manejar” tem o sentido de “dissecar” ou separar cuidadosamente as partes. Para entender as Escrituras é preciso perguntar ‘quando’ algo está sendo dito, ‘onde’, ‘em que circunstância’ e ‘com qual objetivo’.

Neste momento Jesus está em Israel, falando a judeus que aguardam pelo Messias em meio à rejeição dos líderes e do povo em geral. Considerando que estes discípulos logo deixariam o status de judeus para serem feitos Igreja, morrendo antes de Cristo voltar para reinar, o discurso não era diretamente para eles. Todavia as instruções permaneceriam válidas para pessoas naquele mesmo caráter: o remanescente de judeus fiéis que viverá na terra nos momentos que precedem a vinda de Cristo para reinar. Continue lendo »


Nossos dias são de muita inquietação. O Movimento Sufragista Feminino obteve sua grande vitória — o voto das mulheres — há alguns anos e desde então as coisas têm avançado a passos gigantescos. Até mesmo uma instituição tão conservadora quanto a Igreja Oficial (o autor se refere à Igreja Anglicana, na Inglaterra) está se preparando para dar às mulheres um lugar em seu ministério.

Do ponto de vista político, essa questão não deveria preocupar o cristão. Sua “política” é celestial pois “a nossa cidade está nos céus, donde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo” (Fp 3:20). Somos, contudo, naturalmente afetados pelo que nos rodeia. A anarquia no mundo tende a induzir à anarquia na igreja. Sendo assim, parece que o momento é propício para um exame deste assunto tão importante – A mulher: seu lugar nas Escrituras.

Primeiramente, o assunto parece dividir-se em duas partes:

1. A mulher: seu lugar na natureza;

2. A mulher: seu lugar na graça.

Torna-se, contudo, impossível separar inteiramente as duas. O lugar da mulher na natureza é uma figura do seu lugar na graça, ou melhor dizendo, do seu relacionamento de mulher cristã para com Deus. Isto se destaca através da própria maneira pela qual a mulher foi criada. Foi uma maneira especial – em extremo contraste com qualquer outro ser. E foi também de uma maneira simbólica e ilustrativa. Adão mergulhou num profundo sono – figura da morte de Cristo. Uma costela foi retirada de seu lado, e dela foi feita uma mulher que lhe foi apresentada como ajudadora. É uma figura da igreja – o resultado da morte de Cristo – que Lhe será apresentada como noiva. Continue lendo »


Ao dizer aos fariseus que “O Reino de Deus não vem de modo visível” (Lc 17:20) Jesus está se referindo àquele primeiro momento em que o Rei já estava entre eles, apesar de o Reino ainda não ter sido manifestado em poder e glória. Depois que os judeus rejeitassem seu Rei o Reino ficaria em suspenso. Enquanto isso os crentes viveriam “na aflição, e no reino, e paciência de Jesus Cristo”, como João identifica o atual período em Apocalipse 1:9. Jesus descreve a condição atual do Reino na parábola de Lucas 19:12 com estas palavras: “Um homem de nobre nascimento foi para uma terra distante para ser coroado rei e depois voltar” (Lc 19:12).

Hoje o reino existe em sua forma misteriosa e compreensível apenas aos crentes. “A vocês foi dado o conhecimento dos mistérios do Reino dos céus, mas a eles não”, disse Jesus aos discípulos em Mateus 13:11. Hoje eu e milhões de crentes em Jesus nos aproximamos “do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hb 4:16). Onde está esse trono? Não na terra, mas no céu, como avisou Jesus na cruz, enquanto era ridicularizado por seus algozes: “De agora em diante o Filho do homem estará assentado à direita do Deus todo-poderoso” (Lc 22:69). Continue lendo »


Salmos 16:8-9 – “Tenho posto o SENHOR continuamente diante de mim; por isso que ele está à minha mão direita, nunca vacilarei. Portanto está alegre o meu coração e se regozija a minha glória; também a minha carne repousará segura.”

Estou feliz. Realmente feliz e empolgada. Maravilhada, para ser sincera, pelo fato de que o Deus do Universo concede graça, harmonia e paz aos que O servem. ‘’Louvado seja Deus’’ é uma frase que necessita perdurar em nossos lábios e ecoar em nossas atitudes.  Agradecimentos a Ele necessitam fazer parte de nossa rotina. Motivos para agradecê-Lo é o que sempre teremos de sobra. Viver num mundo assombroso, mas que perto de Sua Glória é nulo, nutre a alma de qualquer ser vivente que entenda o que é o Evangelho. Por outro lado, viver na Terra arquitetada pelas mãos do Criador é uma esplendorosa bênção. Poder contemplar a majestade de Deus através dos animais selvagens ou das paisagens campestres, por exemplo, é de encher a alma de alegria duradoura.

Poder orar onde estivermos, sem precauções ou inibições, poder dizer a quem pertencemos, através do Sangue que foi derramado na cruz. Louvado seja pela paz que concede a seres minúsculos e insignificantes como nós. Sua majestade é admirável. O Criador de tudo transformou-se em homem, de carne e osso, para vir a esta Terra salvar o seu povo! Proclamar os seus poderes é um privilégio incomparável. Jesus Cristo reina eternamente. Aliás, a Eternidade lhe pertence. Ele É o bendito ‘’Eu sou’’. Continue lendo »