Se Jesus não cura mais, o que significa aquele versículo “Ele levou sobre si as nossas dores e enfermidades, o castigo que nos traz a paz estava sobre ele e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías) ?

Significa que Jesus curava as pessoas ENQUANTO ESTAVA AQUI para que se cumprisse o que profetizara Isaías. O cumprimento da profecia foi em sua relação com o povo de Israel e não em sua morte na cruz. Leia: “E, chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados, e ele com a sua palavra expulsou deles os espíritos, e curou todos os que estavam enfermos; PARA QUE SE CUMPRISSE O QUE FORA DITO PELO PROFETA ISAÍAS, QUE DIZ: ELE TOMOU SOBRE SI AS NOSSAS ENFERMIDADES, E LEVOU AS NOSSAS DOENÇAS.” – Mateus 8:16-17

Isaías foi um profeta e estava, portanto, profetizando algo relacionado AO POVO DE ISRAEL (os profetas do Antigo Testamento NÃO PROFETIZAVAM A RESPEITO DA IGREJA, pois até para eles a Igreja era um mistério que só seria revelado depois ao apóstolo Paulo).

.

Em Levítico 21:18 em diante, fala que quem tivesse alguma deformidade não podia oferecer ofertas queimadas ao Senhor. Mas Deus não olha o coração? E a Bíblia também não diz que ele não faz acepção de pessoas?

Essa lei foi só para os judeus. O que vale para nós está no Novo Testamento. Mesmo que você seja judeu. Continue lendo »


“A Lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por intermédio de Jesus Cristo”, diz João 1:17. Em Lucas 17 Jesus fala aos discípulos coisas que não farão sentido para você se não for um discípulo dele. Por que digo isto? Porque em sua condição natural o ser humano vive “satisfazendo as vontades da carne, seguindo os seus desejos e pensamentos” (Ef 2:3), os quais são contrários à direção do Espírito Santo que habita no crente em Jesus. Se você é dos que acham que ninguém tem nada a ver com a sua vida, então ainda não sabe o que é ser guiado pelo Espírito Santo em submissão a Cristo Jesus, o Senhor.

“Jesus disse aos seus discípulos: ‘É inevitável que aconteçam coisas que levem o povo a tropeçar, mas ai da pessoa por meio de quem elas acontecem. Seria melhor que ela fosse lançada no mar com uma pedra de moinho amarrada no pescoço, do que levar um desses pequeninos a pecar” (Lc 17:1-2). Se as suas palavras e atos puderem levar alguém a cair em pecado você não está vivendo segundo o amor fraternal. A seriedade disso o Senhor mostra com o exemplo da pesada pedra de moinho. Continue lendo »


Experimente falar de morte a um incrédulo e ele provavelmente baterá três vezes com os dedos na madeira, numa tentativa supersticiosa de evitar o inevitável. Agora pergunte ao apóstolo Paulo o que ele achava da morte e sua resposta será: “Para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro. Caso continue vivendo no corpo, terei fruto do meu trabalho. E já não sei o que escolher! Estou pressionado dos dois lados: desejo partir e estar com Cristo, o que é muito melhor” (Fp 1:21).

O incrédulo sabe que, com a morte, deixará de desfrutar de seus bens, reputação, família, amigos, prazeres, etc. Por isso se agarra a essas coisas, pois é tudo o que tem. Não se espante quando vir alguém desesperado em defender opiniões, propriedades ou paixões. Se lhe tirarem isso nada lhe restará. O crente, porém, sabe que as coisas desta vida são passageiras, por isso se agarra às coisas eternas. Abraão diz ao rico: “Lembre-se de que durante a sua vida você recebeu coisas boas, enquanto que Lázaro recebeu coisas más. Agora, porém, ele está sendo consolado aqui e você está em sofrimento” (Lc 16:25). Continue lendo »