“Confia ao SENHOR as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.” – Provérbios 16:3

Não importa quantas vezes leiamos a Bíblia, a veracidade do que ali está escrito sempre será surpreendente quando analisarmos seus conselhos e princípios empiricamente. São diversas as oportunidades que temos para comprovar o quanto a Palavra é fidedigna.

Infelizmente, muitos a taxam como antiquada e ultrapassada numa atitude de preconceito e negligência. Pensam que a Bíblia não passa de um monte de páginas subservientes ao politicamente correto, repleta de tradições arcaicas que se tornaram inúteis à atual civilização. Não param para comprovar a insanidade que é tal raciocínio, através de uma leitura despretensiosa, atendo-se unicamente a simples curiosidade que leva a aprender, pois para tal é necessário abandonar prejulgamentos nutridos pela estarrecedora maioria.

Você está pronto para andar na contramão, pensar por si mesmo, ler as Escrituras e só então tirar conclusões sobre os ensinamentos contidos ali? Poucos têm tamanha ousadia e intrepidez. Destes, muitos se sentem gratos por terem tomado esta corajosa atitude, capaz de mudar vidas e transformar histórias. Continue lendo »


Jesus conta uma parábola: “A terra de certo homem rico produziu muito bem. Ele pensou consigo mesmo: ‘O que [eu] vou fazer? Não tenho onde armazenar minha colheita’. Então disse: ‘Já sei o que [eu] vou fazer. [Eu] vou derrubar os meus celeiros e [eu vou] construir outros maiores, e ali [eu] guardarei toda a minha safra e todos os meus bens. E [eu] direi a mim mesmo: Você tem grande quantidade de bens, armazenados para muitos anos. Descanse, coma, beba e alegre-se’. Contudo, Deus lhe disse: ‘Insensato! Esta mesma noite a sua vida lhe será exigida. Então, quem ficará com o que você preparou?’ Assim acontece com quem guarda para si riquezas, mas não é rico para com Deus”(Lc 12:15-21).

O pronome pessoal “eu”, subentendido como sujeito oculto, revela duas coisas: a pretensão daquele que pensa estar no controle de sua vida e a solidão em que vive o avarento, que é egoísta e só pensa em si. A parábola fala ainda da loucura que é achar que bens materiais possam garantir segurança, e acreditar que a vida resume-se ao nosso tempo na terra. O insensato consulta a si mesmo sobre o que fazer com o que acumulou. Ele exclui Deus de seus planos, esquecendo-se de que todo ser humano tem em sua agenda um compromisso pétreo, isto é, que não pode ser adiado: encontrar-se com Deus. Para ninguém se esquecer disso, Deus repete três vezes na Bíblia: “Diante de mim todo joelho se dobrará e toda língua confessará que sou Deus”(Is 45:23; Rm 14:11; Fp 2:10). Continue lendo »


Qual é esse verdadeiro evangelho que todos falam que não é pregado nos dias de hoje?

Basta ler o Novo Testamento para saber. É o Evangelho da graça de Deus que Paulo pregava (At 20:24), que é diferente do Evangelho do Reino de Deus que Jesus pregava (Mt 4:23). Se você ler e estudar o Antigo Testamento depois, vai entender mais ainda.

.

Em qual território atualmente se sitou o Jardim do Éden?

No atual território do Iraque.

.

Irmão, como diz que igreja é anti bíblico e que mulheres devem estar caladas nas igrejas?

A Igreja não é anti-bíblico; as denominações são. Ou as “igrejas” criadas pelos homens, isso não tem nenhuma base bíblica.  E não sou eu que digo, é a Palavra de Deus. Basta ler e estudar a Bíblia para constatar. E com relação às mulheres ficarem caldas quando a Igreja está reunida, é mandamento do Senhor Jesus. Leia:

“Como EM TODAS AS IGREJAS DOS SANTOS, AS VOSSAS MULHERES ESTEJAM CALADAS NAS IGREJAS; porque não lhes é permitido falar; mas estejam sujeitas, como também ordena a lei. E, se querem aprender alguma coisa, interroguem em casa a seus próprios maridos; porque é vergonhoso que as mulheres falem na igreja. Porventura saiu dentre vós a palavra de Deus? Ou veio ela somente para vós? Se alguém cuida ser profeta, ou espiritual, reconheça que AS COISAS QUE VOS ESCREVO SÃO MANDAMENTOS DO SENHOR. Mas, se alguém ignora isto, que ignore.” – I Corintios 14:33-38 Continue lendo »


Outro contraste que encontramos entre a antiga e a nova dispensação está no conhecimento de Deus como Pai, algo que um judeu não podia desfrutar. Isto foi completamente revelado em Cristo e é um dos maiores privilégios do cristão. No Evangelho de João diz que “ninguém jamais viu a Deus, mas o Filho Unigênito, que está junto do Pai, o tornou conhecido”(Jo 1:18). Em sua carta o mesmo João fala de Jesus como sendo “o verdadeiro Deus e a vida eterna”(1 Jo 5:20).

No Antigo Testamento os israelitas celebravam sacrifícios que eram “uma recordação anual dos pecados, pois é impossível que o sangue de touros e bodes tire pecados”(Hb 10:3-4). A eles era apenas prometido que Deus iria prover um Cordeiro para tirar o pecado, porém só no futuro. O cristão tem, ao invés de promessas, o fato da redenção já consumada. É como se Israel tivesse apenas uma nota promissória, porém a Igreja desfrutasse do resgate do valor prometido.

Outra diferença é que na antiga dispensação um israelita podia contar apenas com a influência do Espírito Santo ou sua atuação eventual em si mesmo. Agora o Espírito habita permanentemente no cristão. Aos seus discípulos, ainda no período dos evangelhos em que vigorava o judaísmo, Jesus disse que o Espírito Santo estava com eles, mas que em breve viria habitar neles. Continue lendo »