Jesus diz a eles uma parábola: “Ninguém tira um pedaço de uma roupa nova para a coser em roupa velha, pois romperá a nova e o remendo não condiz com a velha. E ninguém deita vinho novo em odres velhos; de outra sorte o vinho novo romperá os odres, e entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão; mas o vinho novo deve deitar-se em odres novos, e ambos juntamente se conservarão” (Lc 5:36-39).

Esta parábola explica a impossibilidade de se misturar Lei e graça. O contexto aqui é a comparação que os fariseus fazem entre os discípulos de João Batista, que pertencem à velha ordem de coisas, e os discípulos de Jesus, que o recebem com a alegria de uma noiva na companhia de seu noivo.

É impossível fazer os princípios da graça se encaixarem no velho sistema da Lei. Não se tira um pedaço do novo para costurar no velho; a graça e a Lei nunca poderão andar juntas. De igual modo ninguém colocaria vinho novo, ainda em fermentação, em um velho saco de couro que guardou vinho velho e já não tem a elasticidade necessária para o novo. O vinho novo precisa ser colocado em um odre novo para que ambos se conservem. Continue lendo »


A primeira crítica dos judeus religiosos contra Jesus é por ele ter aceitado o convite de Levi, o odiado coletor de impostos, para comer com publicanos e pecadores. Jesus explica que foi para isso que veio ao mundo: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes”(Lc 5:31-32). Se os fariseus não se consideram doentes então não há cura para eles.

Se você se considera justo aos olhos de Deus, você é da turma dos fariseus. Você se reconhece pecador? Então você é da turma de Levi e tem o privilégio de poder crer em Jesus e ser salvo de seus pecados. A única condição para alguém ser salvo é ser pecador e reconhecer-se assim. “Eu não vim chamar justos, mas pecadores ao arrependimento”, diz Jesus àqueles religiosos judeus.

Eles continuam criticando Jesus ao compararem seus discípulos, que comem e bebem alegremente, com os discípulos de João Batista, que jejuam muitas vezes e fazem orações. A resposta de Jesus deixa claro que eles ainda não percebem que ele é Jeová, o esposo de Israel anunciado pelo profeta Isaías, que disse: “O seu Criador é o seu marido”(Is 54:5). Continue lendo »


O que você faria se tivesse um bom emprego público para garantir uma vida próspera e uma aposentadoria tranquila? Levi é assim. O problema dele está justamente em sua profissão. Coletar impostos numa nação invadida significa tirar dinheiro de seu próprio povo para entregá-lo ao inimigo romano. Aos olhos dos judeus a profissão de Levi é tão respeitada quando a de uma prostituta.

Mas isso está para mudar. Se Levi pensa que seu emprego é desprezível espere até ele descobrir o que é seguir a Jesus. Ele promove um banquete em sua casa e convida a Jesus, além de outros publicanos, a escória da sociedade aos olhos dos religiosos judeus. Não sabemos quantos deles acabariam seguindo o Salvador, mas é fácil entender que tenham sido até mais desprezados por se associarem a Jesus. E hoje, o que acontece com aqueles que creem em Cristo?

Depois que o imperador Constantino transformou o império romano em um império cristão por decreto, ser cristão ganhou status. As pessoas se tornavam cristãs, ou porque eram obrigadas, ou por outros interesses. Mas, com o tempo os cristãos genuínos passaram a ser vistos como um estorvo, e é por isso que a história está repleta de casos de cristãos perseguindo cristãos. E hoje? Bem, é bom você entender que ser cristão pode implicar perder amigos e ser mal visto. Continue lendo »


‘’Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças. ’’ – (Filipenses 4:6)

De modo geral, somos naturalmente inclinados à ansiedade. Nossas limitações enquanto humanos não nos permitem saber como será o futuro e isso se torna motivo de angústia e tortura para muitos.

Estamos constantemente nos questionando a respeito do que acontecerá e permitimos que preocupações tomem conta de nossos pensamentos a todo instante. Tais preocupações nos levam ao passado e pensamos no quão bom seria poder mudá-lo… Não paramos para raciocinar que nada disso faz sentido, não passa de perda de tempo e energia.

Frequentemente esquecemos de que não podemos mudar o passado, e jamais poderemos controlar o futuro. As escolhas que nos são pertinentes que podem influenciar estes dois tempos dizem respeito somente ao presente e é nele que devemos viver. O controle de todo o resto pertence a Deus.

A ansiedade é algo inútil na vida de qualquer indivíduo, ainda mais na de um cristão! Enfrentá-la é uma decisão que podemos tomar conscientemente, desde que mantenhamos em mente que Cristo nos encoraja a confiar nEle. Esta confiança brota de um relacionamento puro e verdadeiro com Ele, através de leitura bíblica e oração, e também de nossas experiências pessoais. Continue lendo »