”Com relação a passagens da bíblia que dizem sobre a profecia: que quando Jesus for voltar , o penúltimo líder vai desistir e o ultimo será o falso… o que você acha sobre isso … esta na bíblia” Apocalipse 17.10 e 11

A passagem de Apocalipse 17:10-11 diz: “E são também sete reis; cinco já caíram, e um existe; outro ainda não é vindo; e, quando vier, convém que dure um pouco de tempo. E a besta que era e já não é, é ela também o oitavo, e é dos sete, e vai à perdição.”

Esta passagem trata de acontecimentos que terão ocasião durante o período da grande tribulação, nos últimos sete anos antes do milênio quando a Igreja já não mais estará na terra porque já terá sido arrebatada pelo Senhor Jesus. No livro do Apocalipse tudo o que se refere à Igreja está no início do livro, até o capítulo 3.

.

Eu li em um livro, que os muçulmanos, dizem que na Bíblia, relata o profeta prometido Maomé em Deuteronômio 18:15. Neste versículo este profeta pode ser Maomé? Quem é esse profeta? Jesus?

É Jesus. A Bíblia inteira, Velho e Novo Testamentos, falam de Jesus. Do início ao fim.

.

O que significa o Salmo 1 ao “pé da letra”? É não se misturar com coisas seculares não fazer? Um determinado pastor na tv disse que podemos nos assentar, mas não fazer as mesmas coisas, poderia explicar melhor?

Resumindo: quem anda segundo a Palavra de Deus sempre irá bem; quem não anda, irá mal. Continue lendo »


Depois de nos acostumarmos a ver Jesus sempre acompanhado de seus apóstolos, a cena de sua morte revela uma mudança radical. Seus discípulos desaparecem e as pessoas mais improváveis são as que irão lidar com seu corpo morto. Não são os apóstolos que encontramos aos pés da cruz, mas as mulheres que serviram Jesus. Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e de José, e também a mãe dos filhos de Zebedeu.

Os profetas do Antigo Testamento tinham previsto que Jesus seria contado com ladrões, o que aconteceu na cruz. Isaías previu também que providenciariam para que ele fosse sepultado com os ímpios, talvez numa vala comum aos criminosos, porém ele ficaria com o rico na sua morte. E é um rico que vai pedir a Pilatos para liberar o corpo para ser sepultado. José, da cidade de Arimateia, era um membro do sinédrio, uma espécie de suprema corte de Israel. Ele possuía um sepulcro novo, uma gruta escavada numa rocha com uma grande pedra circular fechando a entrada.

Jesus é sepultado, o sepulcro é fechado com a pedra e Pilatos ordena que soldados guardem o túmulo nos próximos três dias. Os sacerdotes pediram isso, pois temiam que os discípulos roubassem o corpo e depois dissessem que Jesus tinha ressuscitado, conforme havia prometido. Continue lendo »


Quando Jesus dá o brado que assinala o momento de sua morte, a criação entra em convulsão, solidária ao Criador. A terra treme, as rochas quebram, sepulcros se escancararam. Após a ressurreição de Jesus, muitos veriam sair desses sepulcros pessoas ressuscitadas.

Nem o Templo em Jerusalém sai intacto. No momento da morte , o véu, que impedia o acesso ao Santo dos Santos, rasgou-se de alto a baixo, de Deus para o homem. Era naquele aposento que ficava a Arca da Aliança que os israelitas conduziram por quarenta anos pelo deserto em sua peregrinação do Egito à terra prometida. A arca representava a própria presença de Deus e ninguém podia tocá-la, ou seria morto.

Apenas o sumo-sacerdote podia entrar no Santo dos Santos uma vez por ano levando uma tigela com sangue de um animal sacrificado. Ele borrifava o sangue na tampa da arca, chamada de propiciatório. Qualquer outro que entrasse ali seria morto, inclusive o sacerdote, caso não levasse o sangue. O medo que as pessoas naturalmente têm de se encontrar com Deus é justificado. Encontrar-se com ele sem o salvo conduto do sangue é condenação certa. Continue lendo »


Depois de ser humilhado e castigado na cruz pelos homens durante três horas, a terra é envolta em espessas trevas. Chega a hora de Jesus ser feito pecado por nós, receber sobre o seu corpo os pecados de todos os salvos por ele e sofrer o juízo de um Deus santo. Se nas três primeiras horas ele ficou entre os homens e Deus, absorvendo todo o ódio endereçado ao Criador, nas três horas de trevas ele fica entre Deus e os homens, absorvendo o juízo divino contra o pecado.

No final de sua agonia Jesus dá o mesmo brado descrito por Davi mil anos antes no Salmo 22:1: “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?”O Evangelho de João revela as palavras que trazem consolo a todo pecador que esperava que Deus resolvesse a questão do pecado: “Está consumado!” (Jo 19:30). Está pronto, está acabado, a obra já foi realizada, nada mais precisa ser feito. Então Jesus pende a cabeça e entrega o espírito.

Embora os homens sejam responsáveis por entregar o Filho de Deus à morte, ninguém matou Jesus. É importante você se lembrar de que Jesus é Deus e, ao adotar a forma humana, entrou neste mundo de uma forma ímpar, gerado pelo Espírito Santo e nascido de uma virgem. Apesar de assumir a forma humana, ele não herdou a natureza pecaminosa de Adão, portanto não tinha pecado, nunca pecou e jamais poderia pecar. Continue lendo »