O capítulo 25 de Mateus termina revelando o que acontece logo após a volta de Jesus para reinar. Uns sete anos antes os que morreram em Cristo ressuscitaram, e a Igreja, formada por todos os que creem em Jesus, foi arrebatada ao céu. Seguiu-se o princípio das dores, que é a primeira metade dos sete anos, e a grande tribulação, que é a segunda metade, até Cristo voltar em glória e majestade.

Neste ponto ele já terá enviado os seus anjos para recolher do mundo as tribos perdidas de Israel e os falsos cristãos, uns para habitarem na terra prometida, outros para habitarem no lago de fogo junto com a besta e o anticristo. Após o arrebatamento da Igreja e a condenação dos falsos cristãos, as nações ditas cristãs ficarão vazias. As pessoas que restarem no mundo serão principalmente de nações não cristãs. Elas agora são reunidas na presença do Rei para ele separar os bodes das ovelhas.

Nesta cena há 3 classes de pessoas: bodes, ovelhas e pequeninos irmãos. Considerando que os cristãos verdadeiros foram arrebatados anos antes, esses pequeninos irmãos só podem ser do povo original de Jesus, o remanescente de judeus fiéis que se converterão durante os anos de tribulação. O critério para decidir quem é bode e quem é ovelha está na forma como essas nações trataram esses pequeninos irmãos de Jesus. Continue lendo »


Autor: O livro de Esdras não revela especificamente o nome do seu autor. A tradição é que o profeta Esdras foi quem escreveu esse livro. É interessante notar que uma vez que Esdras entra em cena no capítulo 7, o autor do livro deixa de escrever na terceira pessoa e passa a escrever na primeira pessoa, dando credibilidade a Esdras como o provável autor.

Quando foi escrito: O Livro de Esdras foi provavelmente escrito entre 460 e 440 AC.

Propósito: O Livro de Esdras dedica-se a eventos que ocorreram na terra de Israel na época do retorno do cativeiro babilônico e nos anos seguintes, cobrindo um período de aproximadamente um século que começou em 538 AC. A ênfase em Esdras é na reconstrução do Templo. O livro contém registros genealógicos extensos, principalmente com o objetivo de estabelecer as reivindicações ao sacerdócio por parte dos descendentes de Arão.

Versículos-chave: Esdras 3:11: “Cantavam alternadamente, louvando e rendendo graças ao SENHOR, com estas palavras: Ele é bom, porque a sua misericórdia dura para sempre sobre Israel. E todo o povo jubilou com altas vozes, louvando ao SENHOR por se terem lançado os alicerces da sua casa.”

Esdras 7:6: “Ele era escriba versado na Lei de Moisés, dada pelo SENHOR, Deus de Israel; e, segundo a boa mão do SENHOR, seu Deus, que estava sobre ele, o rei lhe concedeu tudo quanto lhe pedira.” Continue lendo »


Mais uma parábola que fala de um senhor ausente, e este agora dá talentos aos seus servos, de acordo com a capacidade de cada um. No Evangelho de Lucas esta mesma parábola inclui uma ordem: Invistam e façam esse dinheiro render até que eu volte. O talento era a unidade usada para grandes quantidades de dinheiro e cada talento equivalia a mais de trinta quilos de ouro ou prata. Considerando que um recebe cinco, outro dois e outro um, até o que recebeu pouco recebeu muito.

Às vezes confundimos a palavra “talento”desta parábola com habilidades naturais, como música, esportes etc. Não é o caso aqui. Creio que os talentos sejam as responsabilidades dadas a todos os que professam o nome de Jesus. Aqui há uma mistura de trigo e joio, já que um deles é condenado no final. Os talentos são distribuídos segundo a capacidade de investimento de cada um de obter resultados para o seu senhor.

Se você professa crer em Jesus, você recebeu responsabilidades para cumprir durante a ausência do seu Senhor, e todas elas estão bem dentro de sua capacidade de multiplicar. O que recebe cinco talentos ganha mais cinco investindo, e o que recebe dois consegue mais dois. Ambos são elogiados por sua fidelidade e desfrutam da alegria de seu senhor. Continue lendo »


Já ouvi dizer que o Espírito Santo se move de varias formas e que existe a unção do choro, do riso e muitas outras. Isso é bíblico?

Isso não é bíblico. O que a Bíblia diz é que os salvos possuem a habitação do Espírito Santo. E só. I Corintios 3:16 – “Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus HABITA em vós?”

.

Se Deus perdoa e esquece dos nossos pecados, ele vai lembrar no dia do julgamento?

I Coríntios 6:2 – “Não sabeis vós que os santos hão de julgar o mundo? Ora, se o mundo deve ser julgado por vós, sois porventura indignos de julgar as coisas mínimas?”

No dia do julgamento haverão apenas dois grupos de pessoas, os salvos, que vão julgar o mundo juntamente com Jesus, e os condenados. Pessoa salvas tem seus pecados apagados, lavados, limpos, anulados pelo sacrifício de Jesus. É isso o que significa o que está em I João 5:18 – “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus NÃO PECA; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca.” Isso não significa que não cometemos pecados. Significa que os pecados que cometemos (e os que ainda vamos cometer) já foram pagos por Jesus. Uma pessoa salva, quando comete pecado, se arrepende na hora, pois o Espírito Santo que nela habita, a convence da justiça, do pecado e do juízo, conforme João 16:7-11 – “Todavia digo-vos a verdade, que vos convém que eu vá; porque, se eu não for, o Consolador não virá a vós; mas, quando eu for, vo-lo enviarei. E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo. Do pecado, porque não creem em mim; da justiça, porque vou para meu Pai, e não me vereis mais; e do juízo, porque já o príncipe deste mundo está julgado.” Continue lendo »