‘’Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.’’ – (João 13:35)

Jesus Cristo nos instruiu sobre como seremos identificados como cristãos: se amarmos uns aos outros. Esta é a base da mensagem do evangelho, o amor puro, verdadeiro e gracioso que Deus nos exemplifica através do sacrifício de Seu Filho, que nos traz a salvação.

Infelizmente, o que temos visto ultimamente na cristandade é exatamente o contrário. Muitos, distanciando-se do evangelho verdadeiro e distorcendo as Escrituras pregam palavras de ódio causando dissensões e discórdias, colocando-se uns contra os outros, pregando doutrinas errôneas afirmando que são corretas e atacando piamente quem for contra seus ensinamentos enganosos.

‘’Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas, contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho; aparta-te dos tais. ’’ – (I Timóteo 6:3-5) Continue lendo »


No Antigo Testamento Jesus foi apresentado em tipos e figuras e depois sua Pessoa descrita em detalhes nos Evangelhos. Mas o modo como ele se revelou a Paulo foi peculiar. Os outros discípulos haviam conhecido Jesus antes de sua morte e também depois, já ressuscitado. A Paulo ele apareceu glorificado e, como se isto não bastasse, levou-o para conhecer o Paraíso ou “terceiro céu”, onde o apóstolo “ouviu coisas indizíveis, coisas que ao homem não é permitido falar”(2 Co 12:4).

Portanto, ainda que você encontre Jesus em figuras no Antigo Testamento, e vivo, morto e ressuscitado nos Evangelhos, é por meio de Paulo que poderá conhecê-lo glorificado e em sua relação com a Igreja, o corpo de Cristo. Isto por causa da “revelação do mistério guardado em silêncio nos tempos eternos, e que, agora, se tornou manifesto e foi dado a conhecer por meio das Escrituras proféticas, segundo o mandamento do Deus  eterno, para a obediência por fé, entre todas as nações” (Rm 16:25-26). A chave para você abrir o cofre dos segredos ou mistérios de Deus é a “obediência por fé”. Não apenas fé, mas a fé daquele que está disposto a obedecer para conhecer “a sabedoria de Deus, o mistério que estava oculto, o qual Deus preordenou, antes do princípio das eras, para a nossa glória”(1 Co 2:7).

Trata-se de coisas que pertencem a outra dimensão; que Deus tinha em mente antes que existisse o tempo, pois “olho nenhum viu, ouvido nenhum ouviu, mente nenhuma imaginou o que Deus preparou para aqueles que o amam; mas Deus o revelou a nós por meio do Espírito”, diz o apóstolo Paulo em sua carta aos Coríntios (1 Co 2:8-9). Continue lendo »


Os pastores têm usado um bordão para explicarem os atuais ritmos musicais “gospeis” na “gospelândia” que eles tem vivido… longe do crivo da Palavra. Gostaria de saber, meu caro irmão Germano, se têm fundamento o seguinte bordão: “O diabo não cria nada, ele copia tudo de quem criou, que é Deus”…. tem fundamento?

Tem fundamento sim, pois todas as coisas foram criadas por Deus.

João 1:3 – “Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.”

.

Quero saber sobre o G12, se isso é certo ou não dentro da igreja ?

É errado. Para entender o que é a Igreja, leia http://leiaabiblia.blog.br/voce-realmente-sabe-o-que-e-a-igreja/

.

Existe uma diferença de tempo entre gênesis 1.1 e 1.2? Em relação a tradução da palavra dias e anos no período pré-criação e pós e a mesma dos dias de hoje?

A palavra hebraica é “aeon”, que significa simplesmente um período de tempo. Continue lendo »


A revelação dada por Deus aos homens foi progressiva, portanto Moisés e os profetas que vieram depois dele não entenderam a profundidade das revelações que eles próprios recebiam. Muitas coisas só fariam sentido para aqueles que tivessem a revelação completa de Deus, por isso é impossível alguém entender corretamente as sombras e figuras do Antigo Testamento sem ler a realidade apresentada no Novo Testamento. Em sua primeira carta o apóstolo Pedro nos dá uma ideia mais clara disto, ao mencionar a salvação eterna pela fé em Jesus, que hoje o crente pode ter como certa e segura. Ele escreveu:

“Foi a respeito dessa salvação que os profetas que falaram da graça destinada a vocês investigaram e examinaram, procurando saber o tempo e as circunstâncias para os quais apontava o Espírito de Cristo que neles estava, quando lhes predisse os sofrimentos de Cristo e as glórias que se seguiriam  àqueles sofrimentos. A eles foi revelado que estavam ministrando, não para si próprios, mas para vocês, quando falaram das coisas que agora lhes foram anunciadas por meio daqueles que lhes pregaram o evangelho pelo Espírito Santo enviado do céu; coisas que até os anjos anseiam observar” (1 Pe 1:10-12).

Mesmo assim, nem os próprios apóstolos tiveram toda a revelação de Deus durante o período dos Evangelhos. Algumas coisas ficaram ocultas como “mistérios”e foram reveladas especificamente ao apóstolo Paulo. Ele é o autor do “quinto evangelho”, a carta aos Romanos, onde diz, “pelo meu evangelho e pela proclamação de Jesus Cristo, de acordo com a revelação do mistério oculto nos tempos passados, mas agora revelado e dado a conhecer pelas Escrituras proféticas por ordem do Deus eterno” (Rm 16:25-26). A expressão “agora revelado e dado a conhecer”significa que antes de Paulo ainda era um mistério. Continue lendo »