Vimos que a parábola do “Bom Samaritano” é cheia de figuras. O homem que se afasta de Jerusalém, o lugar da presença de Deus, é o pecador. Enganado por seus sentidos ele segue para Jericó, que significa “perfume” e é sinônimo de maldição. Vítima de assaltantes, figura de Satanás, termina vazio e quase morto à beira do caminho. A religião, representada pelo sacerdote, passa indiferente. O levita, uma figura da lei, nada pode fazer por ele. Mas o samaritano, desprezado e odiado pelos judeus, se compadece dele e o salva. Jesus é o verdadeiro Samaritano.

A parábola traz ainda outras figuras que nos ajudam a compreender a sequência de eventos na salvação de um pecador. O homem ferido nada pode fazer por si mesmo, portanto é o samaritano quem “aproximou-se, enfaixoulhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuide dele. Quando voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’” (Lc 10:34-35).

Somente aquele que foi extremamente ferido pelo juízo de Deus pode tratar as feridas do pecador. O profeta Isaías escreveu que Jesus foi “castigado por Deus, por ele atingido e afligido… transpassado por causa das nossas transgressões, esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados” (Is 53:4-5). Portanto só Jesus pode curar as horríveis feridas causadas pelo pecado. Continue lendo »


“Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.” Salmos 100:4

O amor de Deus extrapola todos os limites da lógica humana, por isso muitos têm dificuldade em compreendê-lo e tantos outros em aceitá-lo. Porém, quando aceitamos o amor de Deus em nossas vidas podemos testemunhar verdadeiros milagres em pleno curso. Todos os dias nós temos a oportunidade de vivenciar o cuidado, zelo e paciência do Senhor para conosco e nEle encontramos a inspiração necessária para amarmos de forma plena como Ele nos ama.

Este amor infinito, puro e verdadeiro proveniente deste Deus magnânimo que não poupou o Seu único filho para nos salvar de nossos pecados é destinado a nós não por merecimento nosso, mas sim por misericórdia e graça, as quais caracterizam a natureza de Deus. O calvário nos comprova que o amor de Deus não conhece barreiras e é suficiente para nos preencher com paz, esperança e frutífera fé.

Quando somos resgatados por Deus através da conversão ganhamos novos corações sedentos por agradá-Lo e buscar fazer a Sua vontade. Tornamo-nos gratos por absolutamente tudo, até mesmo por coisas as quais não compreendemos, pois confiamos que Ele sabe exatamente o que é melhor para nós e cremos que tudo o que ocorre está debaixo da Sua permissão. Continue lendo »


Os versículos 30 a 37 de Lucas 10 trazem a parábola conhecida como “O Bom Samaritano”. A parábola é a resposta de Jesus a um mestre da Lei que tem a intenção de colocá-lo à prova. Após mencionar que a Lei se resumia em amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo, o homem pergunta a Jesus: “Quem é o meu próximo?”. A resposta é a parábola.

“Um homem descia de Jerusalém para Jericó, quando caiu nas mãos de assaltantes. Estes lhe tiraram as roupas, espancaram-no e se foram, deixando-o quase morto. Aconteceu estar descendo pela mesma estrada um sacerdote. Quando viu o homem, passou pelo outro lado. E assim também um levita… Mas um samaritano, estando de viagem, chegou onde se encontrava o homem e, quando o viu, teve piedade dele. Aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuide dele. Quando voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’” (Lc 10:30-35).

A vítima do assalto é o ser humano, que saiu da presença de Deus, aqui representada por Jerusalém. Ele segue para Jericó, palavra hebraica que significa “perfume” e é um lugar amaldiçoado por Deus no livro de Josué. O pecado de Adão foi afastar-se de Deus para obedecer aos sentidos e isso resultou em maldição. Os assaltantes são uma figura de Satanás, que deixa o pecador vazio e quase morto em sua jornada afastando-se de Deus. Continue lendo »


Qual é a diferença da Bíblia Católica para a Bíblia Sagrada?

Acho que você quer dizer Bíblia Católica e Bíblia Protestante. São sete livros que tem na Católica e não tem na protestante: Tobias, Judite, I Macabeus, II Macabeus, Baruque, Sabedoria e Eclesiástico.

.

Sobre a Consulta de Saul à Médium. Era Samuel mesmo? Migué da Feitiçeira? Ou uma aparição Demoníaca?

Aparição demoníaca.

.

Existe pre-destinacao pra casamento?

Se até os cabelos da nossa cabeça estão contados… Continue lendo »