A palavra grega usada para dispensação significa literalmente “administração de uma casa” ou “economia”. Na Bíblia tem o sentido de o modo de Deus tratar com o homem de diferentes maneiras nas diferentes épocas. No jardim do Éden Deus tratou com o homem em um estado de inocência. De Adão e Eva exigia-se apenas obediência a uma única ordem, havendo uma pena para o caso de falharem. E eles falharam ao duvidarem de Deus e darem crédito a Satanás.

Com a queda o homem deixou de ser inocente e se tornou responsável. Deus passou a tratá-lo com base na consciência que o homem passou a ter do bem e do mal, muito embora fosse incapaz de evitar o mal e não tivesse poder para praticar o bem. Do mesmo modo como ocorreu com dispensação da inocência, a dispensação da consciência terminou em ruína. A degradação do ser humano chegou a tal ponto que Deus precisou destruir o mundo com um dilúvio.

A única família salva foi a de Noé, que inaugurou a dispensação do governo, por ter sido ele a primeira pessoa a ser revestida por Deus de autoridade para julgar seus semelhantes e aplicar a pena de morte quando necessário. Essa dispensação terminou igualmente em ruína. A torre que os homens construíram em Babel atraiu o juízo de Deus, que confundiu suas línguas e os dispersou. Continue lendo »


Eu já senti desejo sexual por um homem que eu não sabia que era casado, quando soube fiquei péssima, mas continuei sentindo. Isso foi adultério, né? Mesmo sendo ele o “casado” e não eu.

Sim, é adultério.

.

Ter fé como um grão de mostarda é muito ou pouco?

É um bocado, muito mesmo.

.

Só os batizados no Espírito Santo falam em línguas, certo? Mas lá, na hora do batismo a pessoa já fala em línguas ou não? Quando uma pessoa que nunca falou em línguas, fala, é pq foi batizada? Todos devem ser batizados no Espírito Santo ou não é preciso?

Não existe batismo no Espírito Santo e nem falar em línguas através do poder do Espírito Santo, isso terminou no primeiro século com os apóstolos e foi “reinventado” há 100 anos atrás pelo movimento pentecostal. Não tem nenhuma base bíblica.

Por favor, leia os posts acompanhando em sua Bíblia as citações: Continue lendo »


O louvor de Zacarias, pai de João Batista, não faz sentido para quem não é judeu, descendente de israelitas e vivendo na expectativa do estabelecimento do Reino prometido ao rei Davi, com a destruição de seus inimigos. Para quem nasceu no Brasil, é descendente de europeus, africanos, asiáticos, etc. e não tem sangue judeu, as palavras de Zacarias parecem uma carta enviada ao endereço errado.

Quando o apóstolo Paulo escreveu ao jovem Timóteo, ele disse algo muito importante: “Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja corretamente a palavra da verdade” (2 Tm 2:15). O verbo traduzido em nossas versões por “manejar” tem no original grego o sentido de “dissecar”. Isto mesmo, como faz um médico legista com seu bisturi, separando e identificando cada órgão e sua função no corpo.

Devemos fazer o mesmo com a Palavra de Deus, dividindo, separando e identificando cada passagem para aplicá-la da maneira correta. Isto se faz perguntando: O que Deus disse? A quem falou? Quando? Onde? Em que circunstâncias? Com que objetivo? Visando qual povo, época e lugar?

Por exemplo, muita gente tenta encaixar no cristianismo coisas que foram ditas explicitamente no contexto do judaísmo. O resultado é a confusão de doutrinas e igrejas que você encontra na cristandade, além de uma multidão de pessoas decepcionadas porque as promessas que viram o Antigo Testamento ou mesmo nos Evangelhos não funcionaram para elas. Não funcionaram porque não eram para elas. Continue lendo »


Isabel dá à luz um filho e os parentes acreditam que ele será chamado de Zacarias, o nome de seu pai. Mas ao oitavo dia Isabel revela que seu nome será João. Os parentes então “fizeram sinais ao pai do menino, para saber como queria que a criança se chamasse” (Lc 1:62).

Zacarias havia ficado mudo por causa de sua incredulidade, quando o anjo anunciou que Isabel lhe daria um filho em sua velhice. Seus parentes precisam fazer sinais para perguntar o nome do bebê, o que sugere que ele também tenha ficado surdo. A incredulidade não apenas impede que você fale de Deus; a incredulidade também impede que você escute o que Deus quer falar a você.

Zacarias escreve numa tabuinha que o nome do menino será João, pondo fim à sua incredulidade e acatando o que Deus lhe havia preparado. Agora, cheio do Espírito Santo, ele passa a falar do que Deus fez. O normal seria que suas palavras fossem de agradecimento a Deus apenas por aquela criança, mas é de outra criança que Zacarias mais fala: de Jesus, o Cristo, o Messias prometido a Israel. Continue lendo »