Os discípulos chegam à praia, ainda surpresos com resultado de terem jogado a rede seguindo as instruções de Jesus. Ali encontram Jesus, uma fogueira, peixes sobre as brasas e pão. Será que você é daqueles que acreditam que seu sustento é fruto do seu trabalho e não da providência divina? Se você tivesse nascido na Somália, quais teriam sido as chances de ter o emprego que tem?

Deus “faz raiar o seu sol sobre maus e bons e derrama chuva sobre justos e injustos” (Mt 5:45), mesmo que eles não saibam disso. Porém, aquele que creu em Jesus como seu Salvador, que teve todos os seus pecados perdoados e foi recebido na família de Deus pela fé, deveria ao menos reconhecer quem o sustenta e quer dirigir sua vida. Alguns dias antes Jesus tinha ensinado os discípulos: “Sem mim vocês não podem fazer coisa alguma” (Jo 15:5).

Você reparou que neste encontro na praia é Jesus quem providencia tudo? As brasas, o peixe, o pão e até a rede cheia que irá sustentá-los por alguns dias. Não espere ir a Jesus pensando que é por seus esforços e ofertas que ele lhe dará em troca descanso e sustento. No Salmo 50 Deus deixa claro o que pensa de pessoas que tentam se aproximar de Deus na base da barganha: Continue lendo »


Ao crer em Jesus como seu Senhor e Salvador, uma nova vida começa em você. Ao contrário da religião, que espera que você se transforme numa pessoa melhor para ser aceito por Deus, o evangelho ensina que Jesus veio salvar pecadores, não pessoas boas. A única coisa que você pode apresentar a Deus para provar que é um candidato à salvação são os seus pecados. Basta crer nele para ser perdoado.

Mas depois de salvo pela fé em Cristo, o que acontece? Uma mudança de atitude. Você passa a gostar de coisas que não gostava, e a sentir aversão por coisas que antes apreciava. Novas crenças e valores passam a pautar sua vida como filho de Deus, reconhecendo Jesus como Senhor e dono de seu ser. Como diz na carta aos hebreus, você começa a se ocupar com as “coisas melhores em relação a vocês, coisas próprias da salvação” (Hb 6:9).

Mas e se você voltar a viver exatamente como vivia antes? Bem, parece ser o que encontramos os discípulos fazendo neste capítulo 21 do Evangelho de João. Aqueles ex-pescadores tinham sido transformados, por Jesus, em pescadores de homens. Eles ganharam novas prioridades e uma nova perspectiva, porém neste capítulo não vemos mudança alguma. Eles voltam a fazer o que faziam. Continue lendo »


Tomé não estava na primeira reunião com os discípulos. Por onde andaria Tomé? Será que a notícia das mulheres que tinham visto Jesus não chegou até ele? No capítulo 24 do Evangelho de Lucas, os discípulos que Jesus encontra no caminho de Emaús já sabiam das mulheres que afirmavam terem visto Jesus ressuscitado. Então o que iam fazer em Emaús? A resposta em ambos os casos é: incredulidade.

Jesus repreende aqueles dois, dizendo: “Como vocês custam a entender e como demoram a crer em tudo o que os profetas falaram! Não devia o Cristo sofrer estas coisas, para entrar na sua glória?” (Lc 24:25-26). Não era nem uma questão de acreditar ou não nas mulheres, mas de crer em tudo o que os profetas tinham dito sobre a morte e ressurreição de Cristo; de crer na Palavra de Deus.

Agora é a vez de Tomé, nome que é sinônimo de desconfiança e incredulidade. Ele diz aos outros: “Se eu não vir as marcas dos pregos nas suas mãos, não colocar o meu dedo onde estavam os pregos e não puser a minha mão no seu lado, não crerei” (Jo 20:25). Uma semana mais tarde, outra vez no primeiro dia da semana, os discípulos estão reunidos no mesmo lugar, e Tomé com eles. Continue lendo »


“Como está escrito: Eis que eu ponho em Sião uma pedra de tropeço, e uma rocha de escândalo; e todo aquele que crer nela não será confundido.” – Romanos 9:33

Muitos ímpios consideram todos os cristãos hipócritas, valendo-se de exemplos de pessoas que se dizem cristãs, mas vivem de maneira oposta ao que é ensinado por Cristo, como é o caso de inúmeros falsos profetas. Tais exemplos contribuem para uma visão distorcida do que realmente é o evangelho. Sendo assim, diversos ímpios optam por observar somente a ponta do iceberg ignorando o fato de que existem muitos e muitos cristãos dispostos a seguir a Cristo e Seus princípios abstendo-se de todo e qualquer escândalo, ainda que isso lhes custe a própria vida.

Enquanto habitamos a carne certamente falharemos em seguir perfeitamente todos os padrões expostos na Bíblia. Por mais que nos aproximemos de Deus em santidade, estamos sujeitos a falharmos enquanto estivermos nesta carne. Isso não faz de nós seres fracassados ou abomináveis, isso produz oportunidades para que o Espírito Santo seja glorificado através do arrependimento. O importante é estarmos constantemente engajados em viver em santidade olhando para Cristo, não para nossas mazelas pessoais e tentando controlar cada atitude e pensamento que possam nos sobrevir.

Mantendo o foco em Cristo somos preenchidos por Sua graça e misericórdia, as quais nos fazem entender que não somos dignos de nada, mas através do amor de Deus obtemos tudo o que nos é necessário para sermos transformados naquilo que Ele quer que sejamos. Olhar fixamente para Cristo nutre nossas almas de contentamento e paz e reduz significativamente as chances de sermos tentados a pecar contra a Sua santidade. Quando decidimos crer que Cristo está junto a nós diariamente a cada instante, nossas chances de agradá-Lo são aumentadas e nossas vontades carnais são drasticamente diminuídas, porque queremos respeitar a Sua presença incessantemente. Continue lendo »