O apóstolo Pedro está com uma dúvida. “Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão? Até sete vezes?”(Mt 18:21). Para entender a pergunta de Pedro, é preciso entender o significado dos números na Bíblia.

O número “um”obviamente significa unidade. “Dois”é o número de testemunhas necessárias. Três é um testemunho perfeito, o número mínimo de pernas para uma mesa, algo suficiente em si mesmo.

Deus é um, mas é também constituído de três Pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Não tente entender. É Deus!

Quatro nos fala de simetria, dos quatro cantos da terra. Cinco é responsabilidade, é ação executada pelos cinco dedos da mão. Seis é o número que não chega a sete, é incompleto. Sete, portanto, é algo completo. Ele aparece em profusão no livro de Apocalipse, que completa a revelação de Deus. Continue lendo »


Por que Jesus logo depois que foi batizado jejuou quarenta dias e quarenta noites? Qual foi o proposito desse jejum?

Comunhão com Deus.


Tenho 18 ,eu perguntei do rotary porque onde eu trabalho, é uma loja de material p/ const. só que meu patrão me chama pra eventos no rotary, pra recepcionar.. só que o rotary é envolvida com ocultismo e o que voce me aconselha NA PALAVRA DE DEUS?

“Vós, servos, obedecei em tudo a vossos senhores segundo a carne, não servindo só na aparência, como para agradar aos homens, mas em simplicidade de coração, temendo a Deus.” Colossenses 3:22

“Examinai tudo. Retende o bem.” I Tessalonicenses 5:21


O que é comunhão com Deus?

Comunhão, ou seja, comum-união, é o mesmo que intimidade. Ter comunhão com Deus, portanto, é ter intimidade com Deus. É ler a Bíblia todos os dias, orar com frequência, amar o que Deus ama e odiar o que Deus odeia. Continue lendo »


“E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve: Isto diz o que tem os sete espíritos de Deus, e as sete estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives, e estás morto. Sê vigilante, e confirma os restantes, que estavam para morrer; porque não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus. Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei. Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignas disso. O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos. Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. E ao anjo da igreja que está em Filadélfia escreve: Isto diz o que é santo, o que é verdadeiro, o que tem a chave de Davi; o que abre, e ninguém fecha; e fecha, e ninguém abre: Conheço as tuas obras; eis que diante de ti pus uma porta aberta, e ninguém a pode fechar; tendo pouca força, guardaste a minha palavra, e não negaste o meu nome. Eis que eu farei aos da sinagoga de Satanás, aos que se dizem judeus, e não são, mas mentem: eis que eu farei que venham, e adorem prostrados a teus pés, e saibam que eu te amo. Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra. Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.” Apocalipse 3:1-11

Há dois princípios muito importantes apresentados em Apocalipse 3:3-11 que são profundamente interessantes, claros, simples, de fácil compreensão e cheios de poder, quando assimilados – duas coisas distintas que caracterizam um vencedor. A primeira é a verdade que nos foi comunicada, e a segunda, a esperança que está diante de nós.

Encontramos estas duas coisas ilustradas na história de Israel e na história da Igreja de Deus – aquilo que Ele nos deu, e aquilo que é colocado diante de nós. Essas duas coisas servem para formar nosso caráter. Não devemos ser influenciados pelo “caráter” das coisas ao nosso redor, nem pela atual condição do povo de Deus, mas devemos nos deixar influenciar pelo que Deus tem nos dado e por aquilo que nos dará. Somos facilmente desencorajados e desanimados pelo estado das coisas ao nosso redor e levados a desistir de tudo por causa da ruína, ficando assim paralisados. Você deve se lembrar daquilo que tem recebido e ouvido, e acalentar a esperança da glória. Continue lendo »


Na Bíblia, poucos versículos podem revelar grandes histórias. É o que acontece com o exemplo da ovelha perdida. Jesus começa dizendo que “o Filho do homem veio salvar o que se havia perdido” (Mt 18:11). Tem muita coisa nesta frase.

Se, por um lado, o título “Filho de Deus”mostra sua natureza divina, por outro, “o Filho do homem” revela que ele possui a natureza humana, porém sem pecado. Somente alguém que fosse realmente humano poderia nos compreender, passar pelo que passamos e morrer em nosso lugar.

Já que todos são pecadores, Deus não encontrou um ser humano sequer para fazer o papel do cordeiro sem defeito que devia morrer pelo pecador, como acontecia em figura nos sacrifícios do Antigo Testamento. É aí que entra Jesus, nascido de uma mulher virgem por concepção do Espírito Santo, portanto humano e divino, mas sem herdar a natureza pecaminosa que herdamos. Continue lendo »