Jesus é o Soberano Senhor que nos resgatou (2 Pedro 2:1). A palavra original que identifica Jesus nesse versículo é a descrição de um dono de escravos. A figura é do Senhor que nos comprou para sermos sua propriedade particular (veja 1 Pedro 2:9; 1 Coríntios 6:19-20). Embora seja um Senhor bondoso, Jesus não deixa de ser o dono de todos os verdadeiros cristãos. Ele nos comprou e cuida de nós. Devemos-lhe tudo.

Mas Pedro nos avisa: Cuidado com os piratas! São falsos profetas, pessoas que não fizeram o sacrifício que Jesus fez e que não se preocupam com o nosso bem eterno. Usam palavras fictícias para fazer comércio dos servos de Deus (2 Pedro 2:3). Diferente do Salvador que nos resgatou para o nosso bem, esses falsos mestres querem nos vender para lucro próprio. São motivados pela avareza e vêem as outras pessoas – suas vítimas – como meros objetos que os ajudam a alcançar seus objetivos egoístas. Porque Jesus é o nosso legítimo dono, esses comerciantes religiosos são ladrões. Roubam e vendem o que pertence ao Senhor. Nada menos são do que piratas espirituais.

A figura da escravidão aparece outra vez no mesmo capítulo. Aquele que opta pelo pecado torna-se escravo da corrupção (2 Pedro 2:19). Pode acreditar que encontrou a liberdade, não se sujeitando a nenhuma lei ou princípio moral. Mas tornou-se, de fato, escravo de um senhor mau que destrói seus servos. Continue lendo »


Germano, sei que devo honrar meu pai e minha mãe, mas minha mãe as vezes me explora e eu como não quero pecar, faço tudo o que ela quer. É ruim, e outra, o meu pai eu quase nunca vejo, ele é divorciado da minha mãe e ele é espirita, devo obedece-lo?

O que está escrito é: Colossenses 3:20 – “Vós, filhos, obedecei em tudo a vossos pais, porque isto é agradável ao Senhor.”

Se sua mãe lhe explora tipo “trabalho escravo”, denuncie às autoridades. Agora, se o problema é só arrumar o quarto, lavar a louça, varrer a casa e recolher a roupa, obedeça-a sem reclamar. Quanto ao seu pai, obedeça-o em tudo o que não contrariar aquilo que está na Palavra de Deus.


Já faz cerca de um ano que venho orando a Deus pela conversão da minha amiga, existem pessoas Deus “não tem em seus planos” suas conversões?

A Bíblia diz em 1 Timóteo 2:1-4 – “Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações, orações, intercessões, e ações de graças, por TODOS OS HOMENS; pelos reis, e por todos os que estão em eminência, para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade; porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, que quer que TODOS OS HOMENS se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.”

Portanto, Deus quer que todos se salvem. Sabemos que nem todos serão salvos, mas isso não pode ser motivo para esmorecermos em nossos esforços. O que temos que fazer é perseverar em ações e orações.


A respeito do 4º mandamento ” Lembra-te do dia do sábado, para o santificar…… o que quer dizer? Que devemos tirar esse dia para servimos ao Senhor?

Os mandamentos dados a Moisés no Sinai, eram para o povo hebreu, não para nós nos dias de hoje. Devemos observar sim tudo aquilo que Jesus Cristo e os apóstolos nos ensinaram no Novo Testamento.

Colossenses 2:16-17 – “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo.” Continue lendo »


Autor: Apocalipse 1:1,4,9 e 22:8 especificamente identificam o apóstolo João como o seu autor.

Quando foi escrito: O livro do Apocalipse foi provavelmente escrito entre os 90 e 95 dC.

Propósito: A Revelação de Jesus Cristo foi dada a João por Deus “para mostrar aos seus servos o que em breve há de acontecer.” Este livro é cheio de mistérios sobre coisas que virão. É o último aviso de que o mundo certamente terminará e que o julgamento é certo. Dá-nos um pequeno vislumbre do céu e de todas as glórias que aguardam aqueles que mantêm as suas vestes brancas. O livro de Apocalipse leva-nos através da grande tribulação, com todas as suas aflições, e do fogo final que todos os infiéis terão de enfrentar pela eternidade. O livro recorda a queda de Satanás e a condenação que o aguarda juntamente com seus anjos. Vemos também as tarefas de todas as criaturas e anjos do céu, assim como as promessas dos santos que viverão para sempre com Jesus na Nova Jerusalém. Como João, é difícil encontrar palavras para descrever o que lemos no livro do Apocalipse.

Versículos-chave: Apocalipse 1:19: “Escreva, pois, as coisas que você viu, tanto as presentes como as que estão por vir.”

Apocalipse 13:16-17: “Também obrigou todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, a receberem certa marca na mão direita ou na testa, para que ninguém pudesse comprar nem vender, a não ser quem tivesse a marca, que é o nome da besta ou o número do seu nome.”

Apocalipse 19:11: “Vi o céu aberto e diante de mim um cavalo branco, cujo cavaleiro se chama Fiel e Verdadeiro. Ele julga e guerreia com justiça.”

Apocalipse 20:11: “Depois vi um grande trono branco e aquele que nele estava assentado. A terra e o céu fugiram da sua presença, e não se encontrou lugar para eles.” Continue lendo »


O primeiro rei de Israel, Saul, era uma pessoa de aparência impressionante. Alto e bonito, tudo indicava que ele seria um rei perfeito. O seu reinado, portanto, demonstrava a verdade que a condição do coração é muito mais importante que a aparência externa.

A falha de Saul como rei veio da sua desobediência às instruções divinas. A história de 1 Samuel 15 ilustra bem esta fraqueza de Saul. No início do capítulo, Deus mandou Saul destruir completamente os amalequitas, tanto as pessoas quanto os animais. Os amalequitas haviam feito uma emboscada para o povo de Israel quando eles saíram do Egito, atacando os fracos e os que ficavam para trás e Saul seria o instrumento do castigo de Deus.

O capítulo mostra que Saul e o exército de Israel lutaram, sim, contra Amaleque, mas que pouparam a vida de Agague, rei dos amalequitas, e os melhores animais. A reação de Saul à bronca do Senhor através de Samuel é interessante. Saul cumprimentou Samuel após a batalha, proclamando, “escutei as palavras do Senhor” (1 Samuel 15:13), mas Samuel o perguntou a respeito dos animais. Saul então tentou outro jeito; ele alegou que o povo havia guardado os melhores animais para sacrificar ao Senhor. Qual seria uma motivação mais nobre do que sacrificar ao Senhor?

Samuel lembrou Saul do mandamento do Senhor de destruir totalmente os amalequitas. Saul reafirmou a sua obediência, mas finalmente reconheceu que os animais salvos “pelo povo” para o sacrifício deveriam ter sido destruídos. Samuel, porém, não permitiu que Saul, o líder do povo, os culpasse e o informou que a obediência é melhor que o sacrifício. Enfim Saul confessou que havia pecado, reparando que ele temia o povo e assim permitiu que poupassem o rei e os animais. Continue lendo »